colchão viscoelástico
Ultima atualização: 20 de novembro de 2020

Como escolhemos

15Produtos analisados

17Horas investidas

4Estudos avaliados

78Comentários coletados

Enquanto você dorme, seu corpo trabalha na manutenção de todos os sistemas funcionais. Com o sono de qualidade, são produzidos hormônios que fortalecem a imunidade e as conexões cerebrais e, acredite, até o excesso de peso pode ser eliminado! Para isso, você precisa de noites tranquilas e confortáveis. Quem tem um colchão viscoelástico, sabe bem do que estamos falando!

Se você ainda não tem o seu — e está à procura de mais informações sobre ele —, chegou ao lugar certo. Neste artigo, vamos apresentar essa maravilha da tecnologia, com todos os detalhes, vantagens e as dicas para escolher o colchão viscoelástico ideal, que vai trazer noites mais tranquilas e dias com mais saúde e disposição.




O mais importante

  • Um colchão viscoelástico tem propriedades termossensíveis que permitem a adaptação aos contornos do corpo. Desta forma, ele reduz a pressão que os colchões convencionais exercem sobre as articulações durante o sono.
  • Apesar da fama de que a espuma viscoelástica é muito quente, os fabricantes têm buscado alternativas tecnológicas para melhorar a sensação térmica e a respirabilidade deste tipo de colchão.
  • Na hora de comprar um colchão viscoelástico, nossa recomendação é que você leve em conta aspectos como a densidade, a capacidade de transpiração e outros critérios, sobre os quais falaremos em detalhes mais a frente.

Os melhores colchões viscoelásticos do mercado: nossos favoritos

A recomendação de especialistas é que trocar de colchão a cada dez anos, no máximo (1). Portanto, essa não é uma compra comum. Por este motivo, é normal que surjam dúvidas na hora de escolher um novo modelo. Pensando nisso, selecionamos os modelos de colchão viscoelásticos mais vendidos e com as melhores avaliações do mercado. Veja quais são os primeiros da lista:

O colchão viscoelástico com 100 noites de teste

Esse colchão é desenvolvido composto por 3 camadas de espuma perfeitamente combinadas, que otimizam a distribuição da pressão do corpo, garantindo o suporte perfeito em qualquer posição.

A tecnologia Airgocell Next Generation, promete total conforto durante o seus momentos de descanso. Tanto que a empresa garante a devolução do valor pago se, após as 100 primeiras noites de sono, você não se adaptar ao colchão.

O colchão viscoelástico com estrutura em molas ensacadas

Imagine reunir duas das tecnologias de fabricação colchões mais cobiçadas da atualidade... É isso que ocorre neste colchão! Com estrutura em molas ensacadas individualmente, ele possui revestimento em espuma viscoelástica.

Assim, você terá noites confortáveis, com um colchão que se adapta ao seu corpo ao mesmo tempo em que evita incômodos ao neutralizar os movimentos feitos no outro lado da cama.

O colchão com espuma viscoelástica em gel

Não é à toa que a tecnologia deste colchão é chamada de Gel Anjos. Com ele, você terá noites cheias de tranquilidade! A espuma Visco Gel é formada por partículas de gel térmico unidas à espuma viscoelástica.

Assim, o colchão promove conforto térmico, tendo o gel como um ativo para a absorção e liberação cadenciada do calor, aumentando a sensação de frescor ao londo da noite.

Guia de compras: O que você precisa saber sobre o colchão viscoelástico

Levando em conta que a maioria das pessoas passa, em média, um terço de toda a sua vida dormindo (2), a compra de um novo colchão exige reflexão e cuidados na hora da escolha. Além disso, é importante estar atento às novas tecnologias que possam aumentar a qualidade do sono. Uma delas é o colchão viscoelástico. Nesta seção, vamos mostrar todos os detalhes e vantagens deste tipo de espuma para a sua saúde. Acompanhe.

colchão viscoelástico

O colchão viscoelástico é capaz de se adaptar aso contornos do corpo graças às suas propriedades termossensíveis. (Fonte: Puhhha: 94594779/ 123rf.com)

O que é um colchão viscoelástico?

Vamos começar pelo princípio! Os colchões são fabricados de forma a adaptar-se ao corpo e retornar à forma original após cada noite de sono. Com o colchão viscoelástico funciona da mesma forma. A diferença essencial é que ele é feito com uma espuma muito mais densa e viscosa do que as convencionais.

O material viscoelástico é extremamente moldável, especialmente quando exposto ao calor. Assim, durante o sono, ele se modela com o corpo, promovendo a sensação de que o está abraçando, promovendo ainda mais conforto.

Depois de uma noite de sono, o colchão volta a forma original rapidamente. Por isso, é comum que se diga que trata-se de uma espuma "com memória".

O que caracteriza um bom colchão viscoelástico?

A informação é a melhor ferramenta contra as propagandas enganosas. Por isso, é fundamental conhecer as características de um bom colchão viscoelástico antes da compra.

Em geral, você vai se deparar com marcas usando nomes inovadores para descrever a tecnologia deste tipo de espuma. No entanto, nem sempre aquelas que tem a melhor estratégia de marketing tem o melhor produto. Assim, para ter certeza de que o colchão viscoelástico é mesmo bom, confira se:

  • Proporciona uma posição correta de repouso, para que você não acorde com dores nas articulações ou tensão muscular;
  • Recupera a forma rapidamente. O tempo ideal para que a espuma volte ao normal são cinco segundos;
  • Oferece uma compressão média. Ele deve se moldar ao corpo sem impedir a sua movimentação confortável;
  • Garante boa transpiração. Este ponto é importante tanto para o seu conforto térmico quanto para impedir a proliferação de fungos, por exemplo;
  • Apresenta textura homogênea, sem irregularidades na superfície, como calombos ou afundamentos.
foco

Sabia que a espuma viscoelástica foi desenvolvida pela NASA na década de 1970 para reduzir a pressão que os astronautas sofriam durante as decolagens? Trinta anos depois, essa tecnologia passou a ser usada em travesseiros e colchões.

Quais as vantagens de um colchão viscoelástico?

As razões para desejar um colchão viscoelástico são muitas, já que eles trazem diversos benefícios à saude. O mais importante é o fato de aliviar a pressão sobre as articulações durante os períodos de sono. Mas existem mais vantagens!

Para ilustrar, preparamos um breve resumo sobre os principais ganhos ao se usar um colchão viscoelástico. Veja só:

  • Alívio das dores articulares. As pessoas que sofrem com dores nas articulações vão notar rapidamente a melhora dos sintomas quando passarem a usar este tipo de colchão. Isso porque, como comentamos, a espuma se modela ao corpo, exercendo menos pressão nestes pontos;
  • Suporte para as costas. A configuração da espuma garante que as costas se mantenham a uma posição neutra, sem desvios;
  • Estímulo da circulação sanguínea. Ao não exercer pressão sobre o corpo, a espuma viscoelástica permite que o sangue circule com mais facilidade. Desta forma, também contribui para melhorar o aspecto da pele;
  • Reduz a transferência de movimentos. Este tipo de colchão não propaga as vibrações dos movimentos. Com isso, mesmo que seu companheiro se mexa durante toda a noite, o seu lado da cama vai continuar sempre estável;
  • Evita crises alérgicas. Quem sofre com problemas de fundo alérgico tem, no colchão viscoelástico, um bom aliado. Por não ter porosidade, a espuma não permite a proliferação de ácaros, fungos ou bactérias;
  • Garante mais resistência e durabilidade. Um colchão produzido com espuma viscoelástica de alta qualidade pode durar entre dez e quinze anos.

Quais os tipos de espuma viscoelástica existentes no mercado?

Quando se fala em colchão viscoelástico, o que está em pauta é, na verdade, toda uma categoria de colchões. Dentro dela, há diferentes tipos de espuma, que determinam as características específicas de cada colchão.

Basicamente, há três tipos de espuma viscoelástica: a tradicional, a de gel e a vegetal. A seguir, apresentamos uma tabela que avalia as principais vantagens e desvantagens de cada um desses tipos. Veja nossas observações:

Tipo de espuma Vantagens Desvantagens
Tradicional Alívio sobre os pontos de pressão

Não transmite movimento

Durável

Disponível em diferentes modelos e preços

Retém o calor

É derivada do petróleo

Tem recuperação lenta da forma original

Pode ter odor químico nos primeiros dias de uso

De gel Alívio sobre os pontos de pressão

Não transmite os movimentos

Sensação inicial de conforto térmico

Vários modelos disponíveis no mercado

Derivada do petróleo

Apesar da sensação inicial de frescor, costuma ficar bem quente ao longo do uso

Pode ter cheiro forte nos primeiros dias de uso

Vegetal Alívio sobre os pontos de pressão

Não transmite movimentos

Sensação de frescor prolongada

Recuperação mais rápida da forma original

Maior transpirabilidade

Sem produtos tóxicos

Pouca disponibilidade no mercado

Preço elevado

O colchão viscoelástico é seguro para a saúde?

Antes de tudo, é importante ter em mente que qualquer espuma, seja natural ou sintética, contém produtos químicos. No caso do colchão viscoelástico, ocorre a mesma coisa, com uma porcentagem de compostos químicos maior em comparação a outros colchões.

No entanto, isso não quer dizer que se trate de um material nocivo à saúde. Para ter a comercialização autorizada, uma marca precisa seguir rigorosamente a regulamentação dos órgãos de fiscalização sobre os níveis seguros de cada componente.

Mesmo assim, se você ou alguém da sua família conhecidamente sofre de hipersensibilidade a compostos químicos, é mais adequado optar por outros materiais, como a espuma viscoelástica natural ou por colchões de molas, e tecidos que não tenham passado por processos químicos (3).

Como conservar um colchão viscoelástico?

Comprar um colchão viscoelástico representa um investimento considerável. Por isso, todo cuidado para prolongar sua vida útil é muito bem vindo! Neste sentido, adotar alguns hábitos simples no dia a dia é a chave para melhorar a sua saúde e conservar o seu colchão como novo por muito mais tempo:

  1. O colchão deve permanecer sempre na posição adequada. Ao menos que o fabricante indique algo diferente disso, a forma correta é mantê-lo na horizontal, com a parte de material viscoelástico para cima, em contato com o corpo;
  2. Lembre-se de girar o colchão em 180 graus a cada três meses. Ou seja, a cada noventa dias, em média, leve a parte dos pés para a cabeceira e vice-versa;
  3. Proteja seu colchão viscoelástico com uma capa. O ideal é que ela seja respirável e tenha elasticidade. A recomendação é evitar as capas plastificadas, pois elas prejudicam a transpiração da espuma;
  4. Mantenha o colchão longe de fontes de calor intenso como aquecedores, ferro de passar, secadores e pranchas de cabelos;
  5. Evite pular no colchão. Isso vale até mesmo para as crianças. Ainda que elas pesem menos, ainda assim podem causar danos à espuma;
  6. Use uma base adequada para o seu colchão.

Colchão viscoelástico

Apesar da fama de que o colchão viscoelástico é muito quente, já existem tecnologias que ajudam a aumentar o conforto térmico durante o sono. (Fonte: Filimonov: 95861691/ 123rf.com)

Para quem o colchão viscoelástico não é indicado?

Como nossa intenção não é vender colchão e sim proporcionar informação e bem estar, precisamos esclarecer este ponto: nem todas as pessoas vão se dar bem com um colchão viscoelástico. E isso pode ocorrer por uma série de motivos, por melhor que seja um modelo.

Assim, para ajudar a considerar se esta é será a sua melhor escolha, destacamos alguns pontos que podem revelar se este é o colchão certo para você:

  • Sente muito calor durante à noite? A espuma viscoelástica conserva o calor, isso é fato! Para as pessoas que são mais sensíveis às altas temperaturas, o mais indicado é procurar por modelos com fibras naturais e capas de gel. São materiais que trazem mais sensação de frescor e permitem maior respirabilidade;
  • Necessita de um suporte extra para a região lombar? Este tipo de colchão é ideal para manter a postura da coluna. Portanto, como a região lombar (por sua curvatura natural) não entra em contato direto com o colchão, ele pode não ser o mais adequado para quem precisa garantir o apoio nesta área.
  • Costuma de mexer muito durante à noite? Considerando que o colchão viscoelástico demora alguns segundos para voltar à forma original, pode ser um pouco desconfortável para quem se movimenta bastante. Isso porque ele "registra" a postura anterior e dificulta a movimentação natural;
  • Dorme de barriga para baixo? Mesmo sabendo que, de acordo com especialistas, esta postura não é adequada devido à torsão a que o pescoço fica submetido durante o sono (4), muitas pessoas só conseguem dormir dessa forma. Neste caso, o colchão viscoelástico pode resultar incômodo por "envolver demais" regiões como o próprio pescoço e o diafragma, dificultando a respiração.

Critérios de compra

Agora que você já sabe tudo sobre o colchão viscoelástico, suas características e vantagens, chegou a hora da compra! Mas, espere um pouco... Afinal, trata-se de um investimento considerável, não apenas pelo valor econômico, mas pela preservação da sua saúde. Por isso, vale a pena dedicar atenção especial a estes pontos que podem ser decisivos na escolha do modelo ideal.

Densidade

Calcular a densidade ideal não é uma ciência exata. De maneira geral, podemos  dizer que, quanto maior a densidade, maior a qualidade e durabilidade do colchão viscoelástico. Esse valor é calculado medindo a quantidade de material por metro cúbico.

Assim, os colchões de densidade mais baixa possuem uma concentração menor de espuma. Por isso, costumam ser mais baratos e menos quentes. Como ponto negativo, a espuma não fornece o suporte adequado para o corpo, além de estragar com facilidade.

Já a espuma de alta densidade consegue se adaptar melhor aos contornos do corpo. Além de quente, esse tipo de colchão pode dificultar a movimentação e representa um investimento financeiro considerável.

Portanto, na hora de escolher a densidade do seu colchão viscoelástico, considere o peso e a altura de quem vai usá-lo. Basicamente, esses valores são divididos da seguinte forma:

  • Densidade baixa: suporta entre 18 e 40 kg/m³;
  • Densidade média: para peso entre 40 e 80 kg/m³;
  • Densidade alta: ideal para peso acima de 80 kg/m³.
Colchão viscoelástico

As pessoas que sofrem com dores nas articulações vão notar um grande alívio nos sintomas com a redução da pressão desses pontos. (Fonte: Lightfieldstudios: 106838506/ 123rf.com)

Adaptabilidade

A adaptabilidade é a principal qualidade de um colchão viscoelástico. Trata-se da capacidade da espuma de se adaptar às formas do corpo. Embora todos os colchões deste tipo sejam adaptáveis, há diferenças entre eles. Normalmente, os colchões de alta densidade são menos adaptáveis ​​do que os menos densos.

Nem todas as pessoas precisam do mesmo grau de adaptabilidade da espuma.

As pessoas com mobilidade reduzida, por exemplo, devem evitar o "efeito nuvem", que ocorre quando o colchão é altamente modelável e demora para recuperar a forma original.

Caso você não tenha qualquer problema prévio, o ideal é optar por um modelo com adaptabilidade média, para relaxar os pontos de pressão e, ao mesmo tempo, evitar futuros problemas de coluna ou nas articulações.

Transpiração

Já mostramos aqui que a espuma viscoelástica não é o material mais fresco e respirável que você irá encontrar. Para melhorar este aspecto, muitos fabricantes têm buscado tecnologias que melhorem a circulação de ar no interior do colchão.

Uma das tecnologias mais difundidas atualmente é o uso da chamada célula aberta. Ela permite que o ar se mova livremente pelo colchão e ajuda na evaporação do suor. Nossa recomendação é que, antes de comprar, você verifique se o colchão escolhido conta com essas características.

Acabamentos

Os colchões viscoelásticos de alta qualidade costumam ter acabamentos perfeitos, com material de excelência e costuras precisas. Antes de finalizar a compra, preste atenção a esses detalhes, pois a vida útil do colchão também depende da qualidade do acabamento.

Além disso, e sempre bom lembrar que o revestimento contribui para o conforto térmico e tátil do colchão. Por isso, priorize os modelos com capas em tecidos naturais e observe se trata-se de um material resistente e com padrão regular.

Colchão viscoelástico

Um bom colchão viscoelástico pode durar entre dez e quinze anos mantendo a mesma qualidade.
(Fonte: belchonock: 95622080/ 123rf.com)

Resumo

Comprar um novo colchão é algo que se faz poucas vezes na vida. Por isso, todo cuidado é fundamental na hora de escolher o ideal para noites tranquilas. Só assim você poderá proporcionar ao seu corpo o descanso merecido e garantir que o sono cumpra sua função reparadora no organismo. E, nesta tarefa, o colchão viscoelástico pode ser o mais adequado.

Ao longo deste artigo, mostramos as principais características deste tipo de espuma, como ela responde aos movimentos do corpo e de que forma pode ajudar a combater as dores nas articulações e a tensão muscular. Para isso, destacamos os critérios  que podem ajudar a determinar o colchão ideal para você e para cada pessoa da sua família, como a densidade e a adaptabilidade da espuma.

Esperamos ter trazido luz à sua busca pelo melhor colchão viscoelástico. Aproveite e já compre o seu. Depois, é só descansar — não sem antes contar a novidade para os amigos, compartilhando esse guia em suas redes socias! Um abraço!

(Fonte da imagem destacada: Khammuean: 47675307/ 123rf.com)

Referências (4)

1. Marta Chavarrías (2019): «¿Cada cuánto debo cambiar mi viejo colchón?», en Eldiario.es, [Consultado em 14 de fevereiro de 2020].
Fonte

2. EC Brands (2020): «¿Cómo elegir el colchón perfecto? La fórmula diseñada por 1200 españoles», en El Confidencial [Consultado em 14 de fevereiro de 2020].
Fonte

3. Guillermina Torresi (2017): «Guía para evitar los elementos tóxicos en casa», en La Vanguardia [Consultado em 14 de fevereiro de 2020].
Fonte

4. S. F. (2018): «Dormir boca arriba, de lado o boca abajo, ¿qué es mejor?», en ABC. [Consultado em 14 de fevereiro de 2020].
Fonte

Por que você pode confiar em nós?

Artigo informativo
Marta Chavarrías (2019): «¿Cada cuánto debo cambiar mi viejo colchón?», en Eldiario.es, [Consultado em 14 de fevereiro de 2020].
Ir para a fonte
Artigo informativo
EC Brands (2020): «¿Cómo elegir el colchón perfecto? La fórmula diseñada por 1200 españoles», en El Confidencial [Consultado em 14 de fevereiro de 2020].
Ir para a fonte
Artigo informativo
Guillermina Torresi (2017): «Guía para evitar los elementos tóxicos en casa», en La Vanguardia [Consultado em 14 de fevereiro de 2020].
Ir para a fonte
Artigo informativo
S. F. (2018): «Dormir boca arriba, de lado o boca abajo, ¿qué es mejor?», en ABC. [Consultado em 14 de fevereiro de 2020].
Ir para a fonte