Mulher sorrindo e mostrando dinheiro para a tela
Ultima atualização: 31 de maio de 2021

Se você investe seu dinheiro em Renda Fixa, provavelmente você já viu alguma vez essa frase: “Este investimento é protegido pelo FGC”. Mas afinal, o que é o Fundo Garantidor de Crédito? O que ele realmente protege?

Seja muito bem-vindo ao nosso portal! Nós preparamos um artigo que vai te explicar detalhadamente todos os detalhes sobre o Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Prepare-se para compreender porque ele é tão importante para os seus investimentos, basta continuar a leitura!




Primeiro, o mais importante

  • O FGC foi criado em 1995 com o intuito de proteger o capital e a rentabilidade do investidor em Renda Fixa.
  • O Fundo Garantidor de Crédito cobre aplicações de até R$250 mil por CPF ou CNPJ.
  • O FGC é uma entidade privada e sem fins lucrativos.

Fundo Garantidor de Crédito: tudo o que você precisa saber

O Fundo Garantidor de Crédito funciona como uma espécie de Seguro de Carro. Isso porque ele protege alguns tipos de investimentos em Renda Fixa, funcionando com uma espécie de seguro financeiro.

No entanto, quais são os tipos de investimento que ele protege? Em quais situações? Qual o valor máximo garantido pelo FGC?

Que tal saber dessas e de muitas outras informações a partir de agora? Acompanhe!

Foto de uma mulher contando dinheiro

O Fundo Garantidor de Crédito cobre aplicações de até R$250 mil por CPF ou CNPJ (Fonte: Karolina Grabowska / pexels.com)

Entenda o que é o FGC

O Fundo Garantidor de Crédito foi criado em 1995 por conta da preocupação com a estabilidade do sistema financeiro na época. Como o país estava se recuperando de inflações gigantescas e da aplicação de uma nova moeda, esta foi a saída encontrada.

O FGC é uma entidade privada e sem fins lucrativos. Ele nasceu para proteger o dinheiro dos investidores de possíveis falências das instituições financeiras.

O que isso quer dizer? Significa que o seu dinheiro será ressarcido, caso a instituição financeira que o montante estava aplicado venha à falência.

É por isso que muitos investidores preferem colocar o seu dinheiro em aplicações garantidas pelo FGC.

De onde vem o dinheiro do FGC?

Esta é uma dúvida bastante comum. Como que uma entidade sem fins lucrativos vai conseguir pagar todos os clientes de uma instituição financeira que falir. De onde vem todo esse dinheiro?

Bom, saiba que todos os bancos e instituições que são associados ao FGC depositam todos os meses 0,01% do total de depósitos feitos nos investimentos protegidos pelo FGC.

Ou seja, o patrimônio vem dos próprios bancos.

Para se ter uma ideia, no fim de 2020, o FGC declarou patrimônio de R$85,4 bilhões.

Qual o valor máximo garantido pelo FGC?

O Fundo Garantidor de Crédito é uma excelente saída para proteção dos seus investimentos. No entanto, ele possui um teto de R$250mil por CPF ou CNPJ por instituição financeira que falir.

Existe ainda um limite de R$1 milhão a cada quatro anos por CPF/CNPJ. O que isso quer dizer? Você será reembolsado em até quatro vezes, se quatro instituições financeiras diferentes quebrarem, no valor máximo de R$250mil.

No entanto é preciso você ter atenção! Vamos supor que você possua dois investimentos em duas corretoras que juntos ultrapassam R$250mil. Caso essas duas corretoras pertençam ao mesmo banco e esse banco declare falência, você receberá apenas o limite de R$250mil do FGC.

Portanto, atenção quando for alocar seus investimentos!

Quais são os investimentos protegidos pelo FGC?

Já citamos algumas vezes aqui no texto, mas é necessário reforçar: o Fundo Garantidor de Crédito não protege todas as modalidades de investimento.

Confira a seguir os tipos que estão assegurados:

  • CDB (Certificado de Depósito Bancário);
  • LCI e LCA (Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio);
  • LC (Letras de Câmbio);
  • LH (Letras Hipotecárias);
  • RDBs (Recibos de Depósitos Bancários);
  • Depósitos de poupança;
  • Depósitos à vista

O Tesouro Direto é coberto pelo FGC?

Você sabia que o Tesouro Direto não é coberto pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC)? Mas, como assim? A opção mais segura do país em Renda Fixa não é coberta pelo FGC?

Isso mesmo! O motivo é que ele já possui a garantia de cobertura do Governo Federal, que é o responsável pela emissão dos títulos.

Ou seja, a garantia do Tesouro Direto pode ser considerada até maior do que a do FGC. Isso porque, eles só não seriam pagos, se todos os bancos do país falissem, além de todo o país como um todo. Um fato como esse nunca aconteceu.

Você sabia?

Os Fundos de investimentos não são cobertos pelo FGC. Isso se deve ao motivo de os Fundos não serem uma instituição financeira em si.

Além disso, os planos de previdência privada, também não estão inclusos na lista de cobertura do FGC.

Conheças as instituições financeiras que fazem parte do FGC

Centenas de instituições financeiras fazem parte do Fundo Garantidor de Crédito. Conheça a categoria de cada uma delas:

  • Sociedades de crédito imobiliário;
  • Caixa Econômica Federal;
  • Sociedades de crédito imobiliário;
  • Companhias hipotecárias;
  • Bancos múltiplos, comerciais, de investimento, de desenvolvimento;
  • Sociedades de crédito, financiamento e investimento;
  • Associações de poupança e empréstimo

Você pode encontrar a relação completa das instituições associadas no site do próprio FGC. Vale a pena dar uma olhada nessa lista (1) antes de realizar um investimento que diz ser protegido pelo Fundo.

Quanto tempo demora para o FGC realizar o pagamento?

Historicamente, a média para recebimento do seu valor investimento vai de 30 a 90 dias. No entanto, não é possível estipular uma data exata. Cada caso poderá ser diferente.

Por isso, caso isso aconteça de você precisar do FGC alguma vez em sua vida, fique tranquilo e tenha paciência. O dinheiro vai demorar um pouco para chegar mesmo.

Mas saiba que ele chega! Funciona assim: o FGC recomendará uma agência bancária para você retirar o seu pagamento.

Resumo

Investimentos protegidos pelo FGC são excelentes alternativas para quem procura segurança e rendimentos seguros a médio e longo prazo.

É verdade que os desempenhos dessas aplicações deverão ser menores do que outros tipos de investimentos mais ousados. No entanto, com eles, você terá os seus R$250 mil de garantia.

Como vimos durante o texto, são os próprios bancos quem destinam a verba para o caixa do FGC. Todos os meses, 0,01% do total de depósitos feitos nos investimentos protegidos pelo Fundo são destinados à entidade.

Esperamos que você tenha tirado todas as suas dúvidas sobre o Fundo Garantidor de Crédito. Desejamos excelentes investimentos!

(Fonte da imagem destacada: Dean Drobot / 123rf.com)

Referências (1)

1. Confira as instituições associadas ao FGC
Fonte

Por que você pode confiar em mim?

Site
Confira as instituições associadas ao FGC
Ir para a fonte
Resenhas