menina com luz vermelha
Ultima atualização: 1 de julho de 2020

Como escolhemos

13Produtos analisados

21Horas investidas

8Estudos avaliados

83Comentários coletados

O sexo e a masturbação são aspectos que tem grande importância na vida de todas as pessoas. Algumas pessoas preferem elevar estas experiências a níveis superiores e muito mais intensos. Os lubrificantes a base de água proporcionam justamente isso. Neste guia vamos contar tudo que você precisa saber!

Muitas vezes, as grandes mudanças são feitas por pequenos detalhes e precisamente neste caso, com os lubrificantes a base de água. É possível pensar que os lubrificantes não fazem muita diferença, mas isso é um equívoco. Com esta pequena adição diária na vida sexual, você terá muito mais sensações.




O mais importante

  • O uso de substâncias lubrificantes é feito a milhares de anos, desde as civilizações gregas e romanas. Desde o azeite de oliva, passando pelas algas, até como os conhecemos nos dias de hoje, o uso de lubrificantes se popularizou no mundo todo.
  • Além dos lubrificantes a base de água, também existem os lubrificantes a base de silicone e óleo. Ultimamente, as opções com base de água tem sido a preferida por seus benefícios e versatilidade. Vamos mostrar isso mais detalhadamente ao longo deste artigo.
  • Nem todos os lubrificantes funcionam da mesma maneira, muito menos são indicados para todas as ocasiões. Existem critérios de compra dos lubrificantes a base de água que devem ser conhecidos antes de comprá-lo.

Os melhores lubrificantes a base de água do mercado: Nossas recomendações

A oferta de lubrificantes a base de água é muito ampla. Normalmente, a maioria tende a ser muito seguros e inofensivos para a saúde e para o corpo. No entanto, alguns se destacam mais do que outros e para te ajudar, elaboramos uma lista com os melhores lubrificantes a base de água do mercado, tendo como base alguns critérios de aceitação e qualidade.

O lubrificante a base de água favorito dos usuários

Este lubrificante da K-Y é muito utilizado e tem uma excelente qualidade. Sua fórmula de base aquosa é semelhante à lubrificação natural, proporcionando maior conforto e segurança, sem a perda da sensibilidade. Além disso, não tem cheiro, não é gorduroso, não mancha e é facilmente removível. Ideal para ser utilizado com ou sem preservativos.

Um lubrificante para melhorar ainda mais suas experiências

O lubrificante a base de água da Olla é transparente e muito semelhante à lubrificação natural, sua fórmula não agride a pele e não tem cheiro. Pode ser usado com o preservativo, pois ajuda a diminuir o risco de rompimento, além de melhorar a experiência.

Uma opção de lubrificante com sabor

Este lubrificante da Jontex é 3 em 1, pode ser usado como lubrificante íntimo, massageador e tem um sabor agradável de menta, pode ser usado também no sexo oral por ser a base de água. Você pode usar o gel lubrificante íntimo com a camisinha sem nenhum problema, isso fará com que você tenha um momento ainda mais agradável.

Guia de compras: Tudo que você precisa saber sobre o lubrificante a base de água

Normalmente, em assuntos ligados à sexualidade, há muita desinformação na internet, seja por ter notícias incompletas ou por ser uma notícia falsa. Por este motivo, é necessário responder algumas perguntas essenciais para entender a função dos lubrificantes, como funcionam e, principalmente, como utilizá-los de forma segura. Lembre-se que são áreas delicadas que estão em jogo.

casal muito perto

Em geral, é importante evitar lubrificantes que contenham derivados de petróleo, açúcares ou muitos aditivos, já que podem ser nocivos para a saúde. (Fonte: Dolmatov: 90530526 / 123rf.com)

O que é um lubrificante a base de água?

Não é muito difícil saber o que são os lubrificantes a base de água, já que, basicamente, seu nome explica tudo. Este tipo de lubrificante utiliza a água como seu ingrediente, fórmula ou base principal.

Como todos os lubrificantes existentes, é um produto desenvolvido para reduzir o atrito durante as relações sexuais e a masturbação. Uma das características mais notáveis deste tipo de lubrificante é que geralmente são aquosos, não oleosos.

Isso significa que é absorvido facilmente, sem deixar nenhum resquício, misturando-se com os fluídos naturais do corpo humano. Também são mais fáceis de lavar, já que basta usar água e um sabonete comum.

Quais são os principais usos do lubrificante a base de água?

Hoje em dia, o uso de lubrificantes a base de água está quase que exclusivamente destinado às atividades sexuais. Eles são fabricados em sua grande maioria para esta finalidade.

Os lubrificantes substituem ou intensificam a lubrificação natural, que pode ser diminuída naturalmente com o passar dos anos ou por outros fatores como estresse ou problemas hormonais. Vamos aos principais usos:

  • Masturbação (incluindo brinquedos sexuais): um dos maiores usos do lubrificante é para a masturbação. Ao se masturbar com um brinquedo sexual, é importante utilizar o lubrificante, para que não seja desconfortável.
  • Relações sexuais: são ideais para aumentar a lubrificação na hora do sexo. A lubrificação pode diminuir por muitas razões, como idade, estresse, menopausa, entre outros.
  • Sexo anal: dentro das práticas sexuais, os lubrificantes a base de água são especialmente recomendados para quem pratica sexo anal. O ânus é uma parte do corpo seca, que exige lubrificação antes da penetração.
  • Sexo oral: algumas pessoas aproveitam melhor do sexo oral com a ajuda de um lubrificante. Existem opções neutras e outras com sabores, para quem quer experimentar uma opção diferente.
  • Massagens: a menos que não seja massagem erótica, os lubrificantes a base de água não são recomendados para massagens comuns ou relaxantes, já que são bem aquosos. Nestes casos, o mais indicado é um lubrificante a base de óleos.
garota atraente na poltrona

Uma das características mais notáveis deste tipo de lubrificante é que geralmente são de base aquosa e não oleosa. (Fonte: Georgerudy: 82424615 / 123rf.com)

Por que utilizar lubrificantes a base de água em minha vida sexual?

Como mencionamos na seção anterior, a lubrificação de nossas áreas íntimas pode ser afetada por muitos aspectos. No caso das mulheres, ao chegar na menopausa, um dos possíveis efeitos é a secura vaginal (1, 2).

Pode ser desconfortável ou até doloroso fazer sexo. Ao diminuir os níveis de estrogênio produzido, os tecidos da vagina e da vulva ficam mais finos, menos flexíveis, recebendo menor quantidade de sangue e produzindo menos fluídos.

Todas as pessoas são diferentes, algumas mulheres podem sofrer com a secura vaginal mesmo sem ter chegado na menopausa. Outros fatores, como o período da amamentação, também influenciam.

Pessoas que estão tomando anti-histamínicos, antidepressivos, que tem síndrome de Sjorgren (transtorno imunológico), alergias ou que sofrem com estresse, podem ter problemas de lubrificação (2). Mas não são só as mulheres que são afetadas, todos podem sofrer.

Quais as diferenças entre os lubrificantes a base de água, silicone e óleo?

Dentro dos três principais tipos de lubrificante do mercado existem várias diferenças. Para uns é questão de gosto pessoal e não os efeitos ou propriedades de cada um, porém é importante fazer uma comparação entre eles para fazer a escolha.

Lubrificantes a base de água Lubrificantes a base de silicone Lubrificantes a base de óleo
Versatilidade Maior Menor Menor
Uso com camisinha Seguro Relativamente seguro Apenas de poliuretano
Uso com brinquedos sexuais Seguros Não seguros com brinquedos de silicone Seguros
Facilidade de lavar Fácil Intermediária Difícil
Evaporação Rápida Lenta Lenta
Necessidade de reaplicação Sim Não Não

O que deve ser evitado ao comprar um lubrificante a base de água?

Muitos fabricantes aproveitam da ingenuidade de alguns compradores colocando na embalagem do produto que são completamente naturais e com base de água.

Mas isso nem sempre é verdade, já que alguns fabricantes podem incluir componentes para reduzir custos e que você não quer colocar na sua pele. Muito menos em áreas delicadas. Então, observe os seguintes itens:

  • Glicerina: é um tipo de álcool açucarado que é frequentemente usado em lubrificantes. Algumas pessoas relacionam este ingrediente a infecções vaginais e outras afirmam que não (3, 4). Ainda é necessário fazer mais estudos sobre este assunto.
  • Glicerol: assim como a glicerina, é um tipo de álcool de açúcar que, em grandes quantidades, pode causar danos nos tecidos vaginais e anais (5, 6, 7). Também pode aumentar o risco de contrair doenças sexualmente transmissíveis (8).
  • Parabenos: é um tipo de preservativo muito utilizado em lubrificantes a base de água. Tem propriedades leves de estrogênio, o que alerta para o risco de alguns tipos de câncer, mas não existe evidência convincente.
  • Óleos minerais: durante muito tempo, foi afirmado que os óleos ressecam a pele, roubam as vitaminas e que impedem a absorção do colágeno em cremes hidratantes. O certo é que não há evidências convincentes, por isso é necessário testar.
menina loira desfrutando

Nem todos os lubrificantes funcionam da mesma maneira, muito menos são indicados para todas as ocasiões. (Fonte: Isachenko: 122187647 / 123rf.com)

Quais são as vantagens e desvantagens dos lubrificantes a base de água?

Os lubrificantes a base de água tem muitos benefícios, mas também algumas desvantagens. É importante fazer um balanço entre estes aspectos para conseguir comprar um produto adequado.

Vantagens
  • Por ser solúvel em água, são fáceis de limpar
  • Ideais para brinquedos sexuais de silicone
  • São seguros para utilizar com camisinha
  • Geralmente são inodoros e insípidos ou com leve sabor cítrico
  • São seguros para a pele
Desvantagens
  • Evaporam rapidamente
  • Podem ficar pegajosos na pele
  • Não podem ser usados na água, como no chuveiro

Critérios de compra

Antes de comprar um produto, é necessário estar informado sobre os critérios de compra mais importantes. É mais provável que você faça não somente uma boa compra, mas sim a melhor, já que estamos te ajudando com todas as dicas para que você encontre o melhor produto.

Sensibilidade da pele

Os lubrificantes a base de água não são todos iguais, por isso é importante ser cuidadoso ao comprar um e não comprar o primeiro que ver pela frente. Assim como os lubrificantes são diferentes, a pele de cada um também é.

Algumas pessoas podem ter reações indesejadas ao aplicar o lubrificante no corpo. Por este motivo, se você tem uma pele delicada ou sofre com alergias, é importante comprar um lubrificante hipoalergênico.

Se você tem a pele ultra sensível, os lubrificantes a base de silicone são melhores, já que o silicone é sempre hipoalergênico. Assim, você não terá nenhuma reação na sua pele.

casal acordando de manhã

Além dos lubrificantes a base de água, também existem os lubrificantes a base de silicone ou óleo. (Fonte: Nd3000: 106852871 / 123rf.com)

Uso

Embora seja verdade que os lubrificantes a base de água servem para quase todas as atividades sexuais, existem alguns produtos que são mais indicados para alguns usos específicos.

Os lubrificantes para sexo oral costumam incluir aromas e sabores.

É o caso dos lubrificantes especialmente desenvolvidos para a penetração anal e outros ideais para sexo oral. Estes últimos geralmente incluem aromas e sabores agradáveis.

Por outro lado, se você está pensando em fazer sexo na banheiro ou fazer uma maratona sexual, provavelmente seja melhor outro tipo de lubrificante como as opções com base de silicone.

Porém, se você não vê problemas em ter que reaplicar um pouco do lubrificante a base de água, não pense mais e experiente utilizá-lo!

Acidez do pH

A acidez do pH pode dar muitas informações sobre qual será o uso mais recomendado ou ideal para o lubrificante.

Se você irá utilizar apenas para a penetração vaginal, procure opções de lubrificante a base de água com um pH entre 3,8 a 4,5, que é o nível de acidez que normalmente tem uma vagina saudável. Assim, você vai evitar riscos de bactérias vaginais.

Por outro lado, se você quer utilizá-lo para a penetração anal, será melhor comprar um lubrificante a base de água com uma acidez neutra, já que o ânus geralmente tem um pH entre 5,5, a 7,9. Manter estes níveis saudáveis ajuda a evitar infecções ou doenças.

Durabilidade

Uma das vantagens dos lubrificantes a base de água é que, precisamente, são feitos baseados em água. Como mencionamos, isso faz com que evaporem e sejam absorvidos mais rapidamente que os de silicone ou óleos.

No entanto, alguns produtos oferecem uma maior durabilidade que só pode ser comprovado verificando a embalagem ou lendo comentários de outros usuários.

Segurança

Não se empolgue apenas porque está escrito na embalagem do lubrificante que ele é a base de água. Alguns fabricantes geralmente incluem alguns elementos como minerais ou derivados do petróleo para diminuir custos de produção.

Estes produtos podem ser extremamente perigosos para sua pele, especialmente na vagina ou ânus, já que pode danificar a flora e membrana mucosa. O perigo disso é que podem fazer com que seja mais fácil contrair infecções ou alguma doença sexualmente transmissível.

Tenha certeza que o lubrificante que você escolheu está livre de parabenos, bem como outros elementos nocivos. O melhor é que você compre um produto que cumpra com as normas internacionais de segurança e higiene.

menina com lingerie vermelha

O uso de substâncias lubrificantes é feito há milhares de anos, desde as civilizações gregas e romanas. (Fonte: Tverdokhlib: 85368738 / 123rf.com)

Resumo

Estamos confiantes de que, uma vez que você testar o lubrificante a base de água, não vai mais querer deixar de usá-lo. Quantas vezes você não quis ter um destes na mão para auxiliar na lubrificação? O uso deste tipo de produto é inofensivo para a saúde, por isso você pode aproveitar sem medo!

Depois de ler este guia de compras, esperamos que você saiba tudo ou pelo menos o máximo possível sobre os lubrificantes a base de água. Os lubrificantes, por mais simples que sejam, não devem ser comprados sem o devido cuidado, já que você vai estar expondo áreas delicadas do seu corpo. Mas não restam dúvidas de que sua vida sexual será muito mais divertida!

Esperamos que este guia de compras tenha sido útil para você e que suas principais dúvidas tenham sido respondidas. Muito obrigado por ler e, se quiser, compartilhe em suas redes sociais!

(Fonte da imagem destacada: Lightfieldstudios: 135690220 / 123rf.com)

Referências (8)

1. The World Health Organization, Family Health International, United Nations Population Fund. Use and procurement of additional lubricants for male and female condoms: WHO/UNFPA/FHI: Advisory note. World Health Organization 2012.
Fonte

2. Nicole W. A question for women's health: chemicals in feminine hygiene products and personal lubricants. Environ Health Perspect. 2014 Mar;122(3):A70-5.
Fonte

3. (6) Dezzutti CS, Brown ER, Moncla B, Russo J, Cost M, Wang L, et al. Is wetter better? An evaluation of over-the-counter personal lubricants for safety and anti-HIV-1 activity. PLoS One. 2012;7(11):e48328.
Fonte

4. Fuchs EJ, Lee LA, Torbenson MS, Parsons TL, Bakshi RP, Guidos AM, Wahl RL, Hendrix CW. Hyperosmolar sexual lubricant causes epithelial damage in the distal colon: potential implication for HIV transmission. J Infect Dis. 2007 Mar 1;195(5):703-10.
Fonte

5. Strandberg KL, Peterson ML, Lin YC, Pack MC, Chase DJ, Schlievert PM. Glycerol monolaurate inhibits Candida and Gardnerella vaginalis in vitro and in vivo but not Lactobacillus. Antimicrob Agents Chemother. 2010 Feb;54(2):597-601.
Fonte

6. Brotman RM, Ravel J, Cone RA, Zenilman JM. Rapid fluctuation of the vaginal microbiota measured by Gram stain analysis. Sex Transm Infect. 2010 Aug;86(4):297-302.
Fonte

7. Mac Bride MB, Rhodes DJ, Shuster LT. Vulvovaginal atrophy. Mayo Clin Proc. 2010 Jan;85(1):87-94.
Fonte

8. Gandhi J, Chen A, Dagur G, Suh Y, Smith N, Cali B, Khan SA. Genitourinary syndrome of menopause: an overview of clinical manifestations, pathophysiology, etiology, evaluation, and management. Am J Obstet Gynecol. 2016 Dec;215(6):704-711.
Fonte

Por que você pode confiar em nós?

Aline Moura Graduada em Estética
Desde pequena, Aline sempre gostou de brincar e testar os cremes de sua mãe. Daí nasceu a paixão pelos produtos que lhe permitem cuidar da pele e dos cabelos. Formada em cosmetologia e estética, hoje dedica-se a pesquisar e informar seu público sobre tudo o que envolve o cuidado com o próprio corpo, inclusive no que diz respeito a um tema tabu: o sexo."
Curiosa por natureza e apaixonada por viagens, ama estar por dentro das novidades que podem facilitar e tornar mais alegre o dia a dia das pessoas. No Guia55, escreve e adapta artigos para auxiliar suas decisões de compra.
Artigo médico
The World Health Organization, Family Health International, United Nations Population Fund. Use and procurement of additional lubricants for male and female condoms: WHO/UNFPA/FHI: Advisory note. World Health Organization 2012.
Ir para a fonte
Artigo de PubMed
Nicole W. A question for women's health: chemicals in feminine hygiene products and personal lubricants. Environ Health Perspect. 2014 Mar;122(3):A70-5.
Ir para a fonte
Artigo de PubMed
(6) Dezzutti CS, Brown ER, Moncla B, Russo J, Cost M, Wang L, et al. Is wetter better? An evaluation of over-the-counter personal lubricants for safety and anti-HIV-1 activity. PLoS One. 2012;7(11):e48328.
Ir para a fonte
Artigo científico
Fuchs EJ, Lee LA, Torbenson MS, Parsons TL, Bakshi RP, Guidos AM, Wahl RL, Hendrix CW. Hyperosmolar sexual lubricant causes epithelial damage in the distal colon: potential implication for HIV transmission. J Infect Dis. 2007 Mar 1;195(5):703-10.
Ir para a fonte
Artigo de PubMed
Strandberg KL, Peterson ML, Lin YC, Pack MC, Chase DJ, Schlievert PM. Glycerol monolaurate inhibits Candida and Gardnerella vaginalis in vitro and in vivo but not Lactobacillus. Antimicrob Agents Chemother. 2010 Feb;54(2):597-601.
Ir para a fonte
Artigo científico
Brotman RM, Ravel J, Cone RA, Zenilman JM. Rapid fluctuation of the vaginal microbiota measured by Gram stain analysis. Sex Transm Infect. 2010 Aug;86(4):297-302.
Ir para a fonte
Artigo de PubMed
Mac Bride MB, Rhodes DJ, Shuster LT. Vulvovaginal atrophy. Mayo Clin Proc. 2010 Jan;85(1):87-94.
Ir para a fonte
Artigo médico
Gandhi J, Chen A, Dagur G, Suh Y, Smith N, Cali B, Khan SA. Genitourinary syndrome of menopause: an overview of clinical manifestations, pathophysiology, etiology, evaluation, and management. Am J Obstet Gynecol. 2016 Dec;215(6):704-711.
Ir para a fonte