A imagem é de uma ilustração da Bolsa, com vários números e gráficos
Ultima atualização: 10 de junho de 2021

Você já ouviu falar da B3? Sabia que ela é a Bolsa de Valores oficial do Brasil? Mas, afinal, o que realmente faz uma Bolsa de Valores? E por que aqui no Brasil ela é chamada de B3?

Seja muito bem-vindo ao nosso Portal! Neste artigo nós vamos tirar todas as suas dúvidas sobre a B3, a Bolsa de Valores oficial do Brasil.

Preparamos um conteúdo bastante detalhado para os investidores iniciantes e também para aqueles que investem em Renda Variável, mas que ainda desconhecem a história da Bolsa.

Ficou curioso? Continue a leitura para saber mais!




Primeiro, o mais importante

  • A B3 é a responsável pela maior parte das negociações do mercado financeiro no Brasil.
  • Brasil, Bolsa, Balcão. Essas três palavras que iniciam com a letra “B”, são o que caracterizam a Bolsa ser chamada de B3.
  • O índice Bovespa (Ibovespa) é o principal índice da Bolsa de Valores. Ele serve para representar o desempenho das principais ações negociadas no país.

B3: tudo o que você precisa saber

Hoje em dia algumas pessoas ainda confundem a B3 com a Bovespa, uma antiga Bolsa de Valores que funcionava em São Paulo. Saiba que a B3 é a única Bolsa em operação aqui no país.

No entanto, como ela surgiu? Ela possui dono? Quais são os índices que a direcionam? Por que ela é importante para o país? Prepare-se para receber a partir de agora muita informação sobre a B3.

Foto mostra um notebook aberto com um gráfico representado nele

As ações são o principal ativo negociado na B3 (Fonte: Yorgos Ntrahas / unsplash.com)

História da Bolsa de Valores no Brasil

A história da Bolsa de Valores no Brasil é bastante antiga. Para você ter uma ideia, a primeira tentativa de fundação de uma foi em 1890, com a criação da Bolsa Livre. No entanto, ela foi fechada logo em 1891 por conta da política do Encilhamento.

O que foi a política do Encilhamento?

A política do Encilhamento aconteceu entre o fim da Monarquia e o início da República aqui no Brasil. Ela foi caracterizada por uma forte crise econômica, que foi marcada por uma forte inflação e formação de uma bolha econômica.

Foi apenas em 1895, quatro anos depois, que foi aberta a Bolsa de Fundos Públicos de São Paulo. Em 1935, o seu nome mudou para Bolsa Oficial de Valores de São Paulo (também chamada de Bovespa).

Até a década de 60, existiam 27 Bolsas no país, uma para cada estado da federação.

Foi apenas com as reformas do sistema financeiro nacional poucos anos depois, que elas deixaram de ser públicas e se tornaram institucionais e sem fins lucrativos.

Com isso, os antigos corretores de fundos públicos, foram substituídos por o que hoje chamamos de Corretoras de Valores.

Muitos anos depois, em 2000, a Bovespa já concentrava toda a negociação de ações no país.

Mas, e de onde surgiu a B3 que temos hoje? Calma que já vamos explicar.

Saiba como surgiu a B3

Antes de chegarmos ao surgimento da B3, precisamos ainda contar rapidamente a história de duas outras empresas gigantes. A Cetip (Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos) e a BM&F Bovespa.

Sabe por que? A B3 surgiu justamente da fusão entre a BM&F Bovespa e a Cetip, em 2017. Com isso, foi criado um grande conglomerado financeiro. Mas o que eram essas empresas?

Cetip

A Cetip foi criada em 1986 e como seu próprio nome já diz, era a responsável por fazer a custódia e a liquidação financeira de títulos do mercado. Dessa forma, ela operacionalizava ativos de Renda Fixa como:

  • Cotas de fundos de investimentos;
  • Certificados de Operações Estruturadas (COEs);
  • Certificados de Depósitos Bancários (CDBs).

Além disso, ela também é a responsável por realizar o cálculo do CDI. Outro indicador fundamental para o mercado.

BM&F Bovespa

Já a BM&F Bovespa surgiu após a fusão entre a Bovespa e a BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuros). Antes da fusão com a Cetip, a BM&F Bovespa era considerada o mercado mais importante de ativos e derivativos do país.

Nela eram negociados ativos como: ações, moedas, índices, taxas e commodities (como ouro, petróleo e boi gordo).

É importante ressaltar que hoje em dia a Bovespa dá nome ao principal índice de desempenho da B3: o Ibovespa.
Ele funciona como uma espécie de termômetro. Ou seja, se o índice está alto, significa que a economia do país está aquecida.

Afinal, por que B3?

B3 nada mais é do que uma sigla para: Brasil, Bolsa Balcão. Desde 2017 é a nossa Bolsa de Valores oficial. A B3 é uma companhia de Sociedade Aberta (S.A) e está listada na Bolsa de Valores. Portanto, não possui um dono em específico.

Quem supervisiona as operações realizadas nela é a Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Quais os benefícios da B3 para a população?

A Bolsa de Valores traz benefícios gigantescos para o Brasil, seja para cidadãos comuns, seja para empresários. Por exemplo: ao ser listada na Bolsa, a empresa consegue captar muito dinheiro junto aos investidores.

Só que diferentemente dos empréstimos de bancos, a empresa não precisa pagar esse “empréstimo”. Sabe por que?

Ele é revertido em cotas para os acionistas. Assim, ela consegue expandir cada vez mais os seus negócios através dos milhões de reais que consegue captar.

Da mesma forma, a Bolsa é uma excelente oportunidade para investidores que buscam rentabilizar o seu dinheiro. Ela é procurada por geralmente render muito mais do que produtos de Renda Fixa, como o Tesouro Direto.

Resumo

O lugar preferido dos investidores de Renda Variável, a B3 é a responsável pela maior parte das negociações do mercado financeiro no Brasil. Ela tem esse nome, pois é uma sigla para: Brasil, Bolsa Balcão.

Esperamos que você tenha gostado de conhecer um pouco mais sobre a história da Bolsa. Falando nisso, você já investe na Bolsa de Valores? Se ainda não investe e possui interesse, este artigo te pode te ajudar.

Desejamos bons estudos, até mais!

(Fonte da imagem destacada: Monsit Jangariyawong/123rf.com)

Por que você pode confiar em mim?

Resenhas