Ultima atualização: 14 de outubro de 2021

Muitas vezes as pessoas podem sentir um baixo humor ou ter problemas com alimentação, sono, sexo, entre outros. O problema é que eles não sabem qual é a causa e, embora seja sempre melhor consultar seu médico, é muito provável que isso se deva a um baixo nível de serotonina. A serotonina é conhecida como o hormônio da felicidade, bem-estar ou amor.

A serotonina é gerada principalmente no cérebro e no sistema digestivo. É extremamente importante porque se relaciona com muitas partes do corpo e regula o humor. O nível de serotonina no corpo é variável e depende de muitos fatores. Se estiver em níveis baixos, pode ser muito negativo para a vida das pessoas. Entretanto, há muitas maneiras de aumentar a quantidade de serotonina e assim ter uma melhor qualidade de vida.




O mais importante

  • A serotonina é um químico que se origina no cérebro e no sistema digestivo. Ela está relacionada a várias funções no corpo humano.
  • É importante prestar atenção ao nosso nível de serotonina no corpo, pois ela é responsável por regular nosso humor, apetite, fatores cognitivos, entre outros.
  • Existem muitos métodos naturais e não naturais para regular a serotonina relacionada a alimentos, exercícios ou SSRIs.

Tudo o que você precisa saber sobre serotonina

Como mencionado acima, a serotonina é extremamente importante para a mente e o corpo. É essencial conhecer sua função e conhecer o nível de serotonina em nosso corpo. Estar ciente de regulá-lo e mantê-lo em um nível ideal pode controlar problemas evitáveis. Aqui estão todas as informações que você precisa saber sobre este produto químico.

Um nível ótimo de serotonina ajudará você a ter uma melhor qualidade de vida. (Fonte: Brooke Cagle: JBwcenOuRCg/ Unsplash)

1. O que é serotonina e para que serve?

Serotonina é um produto químico produzido pelo nosso corpo. É talvez o neurotransmissor mais conhecido que regula a atividade neural. Níveis e redes alterados do sistema serotonérgico estão diretamente relacionados a certos distúrbios neurológicos(1).

A serotonina modula praticamente todos os processos comportamentais e neuropsicológicos humanos. Isto inclui humor, percepção, raiva, agressão, apetite, memória, sexualidade e atenção, entre outros (2).

É difícil encontrar um comportamento humano que não seja regulado pela serotonina.

2. Onde é produzida a serotonina?

A serotonina é produzida principalmente por neurônios do núcleo do raphe, que são agregados celulares localizados no tronco cerebral. É também derivado do aminoácido triptofano, que é produzido principalmente no sistema digestivo.

Este neurotransmissor é projetado em todo o sistema nervoso central e periférico, bem como em numerosos tecidos não neuronais do sistema digestivo, sistema cardiovascular e células sanguíneas(1).

A serotonina é gerada principalmente no cérebro e no sistema digestivo (Fonte: Robina Weermeijer : so1L3jsdD3Y/ Unsplash)

3. O que a serotonina produz no corpo?

A serotonina é um neurotransmissor que é muito importante para a vida humana. Embora seja frequentemente referida como a substância da felicidade, a serotonina realiza muito mais ações. Estes também são de vital importância para o bom funcionamento tanto do cérebro quanto do corpo. As principais funções da serotonina são(2, 3, 4, 5)

  • Regulando o apetite, dando uma sensação de saciedade e controlando os distúrbios alimentares.
  • Equilibrar o desejo sexual.
  • Controle a temperatura corporal.
  • Projecta para quase todas as áreas do cérebro e está envolvido em processos sensoriais, motores e comportamentais, incluindo aprendizagem e memória.
  • Regulam a dopamina e a noradrenalina, que estão relacionadas à angústia, ansiedade, medo, agressão, bem como a problemas alimentares.
  • Controle os parâmetros de densidade óssea.
  • Intervir na regeneração do fígado.
  • Regulando o sono, os humores, as emoções e os estados depressivos.
  • Intervir no funcionamento vascular e freqüência cardíaca.
  • Regulam a secreção hormonal, como o hormônio de crescimento.
  • Prevenir desequilíbrios mentais tais como esquizofrenia, transtorno obsessivo-compulsivo ou autismo infantil.
  • Inibe a secreção gástrica, estimula a secreção muscular lisa e hormonal pela hipófise.
  • Modula a percepção da dor e o processamento nociceptivo em múltiplos níveis dentro do sistema nervoso central e periférico.

4. Como os níveis de serotonina podem ser aumentados naturalmente?

Se uma pessoa tem um nível baixo de serotonina, é algo que pode ser modificado. Há várias maneiras de aumentar os níveis de serotonina e muitas delas são naturais. Aqui estão os melhores métodos naturais para aumentar seu nível de serotonina (6):

Método Como aumenta a serotonina Atividade/elemento
Mudança de humor auto-induzida A serotonina em indivíduos saudáveis induz estados de humor positivos, negativos e neutros. A felicidade se correlaciona com a serotonina superior, enquanto a tristeza se correlaciona negativamente. Esta é uma relação bidirecional, onde a serotonina influencia o humor e vice versa. Os distúrbios do pensamento, sejam eles auto-induzidos ou devidos à psicoterapia, podem alterar o metabolismo cerebral e gerar mais serotonina. Técnicas de relaxamento como yoga e meditação podem ajudar.
A exposição à luz A luz ajuda a acalmar os efeitos da baixa serotonina. Serve para melhorar o humor em depressão sazonal, depressão não sazonal e distúrbio disfórico pré-menstrual Realizar atividades ao ar livre durante o dia pode ajudar a aumentar os níveis de serotonina
Atividade física Várias linhas de pesquisa sugerem que o exercício aumenta o nível de serotonina no cérebro humano. Muitos estudos têm analisado a relação entre exercício e humor, demonstrando seus efeitos antidepressivos e ansiolíticos O exercício, especialmente o exercício aeróbico, pode ajudar a aumentar a serotonina. Você não precisa de nada extremo, apenas encontre a atividade certa para você.
Alimentos De acordo com vários estudos, o triptofano aumenta a serotonina em humanos. Além disso, em pessoas saudáveis com um traço de alta irritabilidade, aumenta a simpatia, diminui a luta e melhora o humor Uma dieta com muitos alimentos que fornecem triptofano. Alguns alimentos podem incluir leite, queijo, peixe, ovos, legumes, chocolate, nozes, pimentas picantes e carnes como peru, coelho e frango.

5. O que são inibidores seletivos de recaptação de serotonina (SSRIs)?

Os antidepressivos inibidores seletivos de recaptação de serotonina são amplamente utilizados na prática clínica e têm deslocado outros grupos de antidepressivos nas últimas décadas. Isto parece estar ligado ao conceito de maior segurança e à minimização dos potenciais efeitos adversos que seu uso poderia gerar(7).

Os SSRIs deslocaram os antidepressivos tricíclicos como tratamento para grandes transtornos depressivos e distúrbios de pânico. Eles são o tratamento farmacológico de primeira escolha tanto para o transtorno obsessivo-compulsivo quanto para o transtorno de estresse pós-traumático(8). Entretanto, os SSRIs não são recomendados para o tratamento de rotina de depressão menor persistente ou depressão maior leve. Sua relação risco-benefício é pobre, e seu efeito na depressão menor é considerado similar ao placebo de acordo com diferentes diretrizes de consenso(7).

Seu principal mecanismo de ação é a inibição da recaptação de serotonina no nível pré-sináptico levando ao aumento e prolongamento da neurotransmissão serotonérgica.

6. O que é a síndrome da serotonina?

A síndrome da serotonina é uma condição associada ao aumento da atividade da serotonina no sistema nervoso central. Pode ocorrer devido ao uso de drogas, interações medicamentosas e overdose.

A síndrome da serotonina não é devida à ativação de apenas um dos receptores de serotonina (5-HT1-7), mas é devida a uma combinação de ativação de múltiplos receptores. Esta síndrome está normalmente relacionada ao uso de dois agentes serotonérgicos simultaneamente, mas pode ocorrer no início do tratamento com apenas um medicamento ou com doses crescentes do mesmo medicamento(9).

7. Quais são os efeitos adversos dos inibidores seletivos de recaptação de serotonina?

Os SSRIs estão associados a maior segurança e menos efeitos adversos. Entretanto, o número de efeitos adversos relatados, tanto leves quanto graves, não são insignificantes. É importante estar atento a eles para evitar ou diagnosticar precocemente e agir de acordo. A maioria desses efeitos são compartilhados entre os diferentes SSRIs e estão ligados, com diferentes freqüências, a vários órgãos e sistemas. Estes são(7)

  • Gastrointestinais: Diarréia, náusea, vômitos, dispepsia, disfagia, alteração do paladar, boca seca, úlceras gastrointestinais, perda e ganho de peso, distúrbios hepáticos.
  • Neuropsiquiátrico: Dor de cabeça, distúrbios do sono (sonhos anormais, insônia), tontura, anorexia, fadiga (sonolência, sonolência), euforia, movimentos anormais transitórios (espasmos musculares, ataxia, tremor), convulsões e agitação psicomotora, alucinações, reações maníacas, confusão, agitação, ansiedade e sintomas associados (nervosismo), comprometimento da memória, dificuldade na concentração e processo de pensamento (despersonalização), ataques de pânico, síndrome serotonérgica, pensamentos e comportamentos suicidas.
  • Urológico: disfunção sexual (ejaculação atrasada ou ausente, anorgasmo), priapismo, galactorréia.
  • Musculoesquelética: artralgia, mialgia, fraturas ósseas.
  • Hematológicas: hemorragias ginecológicas, hemorragias gastrointestinais, equimose, agranulocitose.
  • Ocular: visão anormal (visão turva, midríase), glaucoma de ângulo estreito.
  • Cardiovascular: Palpitações (bradicardia, taquicardia), vasodilatação, hipotensão postural, hipertensão, prolongamento do intervalo Q-T, vasoconstrição coronária.
  • Respiratório: faringite, dispneia, alterações pulmonares (incluindo processos inflamatórios e/ou fibrose).
  • Reações de hipersensibilidade: Prurido, erupção cutânea, urticária, reação anafilatoide, vasculite, reação do tipo doença sérica, angioedema, calafrios, síndrome serotonérgica, fotossensibilidade e necrólise epidérmica tóxica.
  • Sintomas de abstinência: Tontura, distúrbios sensoriais (incluindo paraestesia), distúrbios do sono (incluindo insônia e sonhos vívidos), astenia, agitação ou ansiedade, náuseas e/ou vômitos, tremores e dor de cabeça.
  • Outros: alopecia, bocejo, bruxismo, suor, hiperprolactinemia, hipoglicémia.

O consumo de alimentos ricos em triptofano pode ajudar a controlar melhor o esgotamento pré-menstrual da serotonina. (Fonte: Tamas Pap:IUovt02qIEg/ Unsplash)

8. Como minimizar o risco de efeitos adversos dos SSRIs

Usando SSRIs somente quando estritamente necessário, ou seja, quando o benefício esperado de sua indicação supera os riscos potenciais. A razão para prescrever antidepressivos a pacientes com depressão leve não é clara ou não pode ser baseada em evidências. Sua principal indicação está em pacientes com depressão grave ou quando alternativas não-farmacológicas foram ineficazes.

Eles devem ser indicados em situações onde a melhor relação risco-benefício possível pode ser assegurada. O monitoramento sistemático e ajustado do tratamento é necessário na população em maior risco. Considere a freqüência dos efeitos adversos para intervir rápida e prontamente, tanto para evitar efeitos sérios como para evitar o abandono do tratamento proposto(7).

9. Como a serotonina age no ciclo menstrual?

Vários estudos examinam a sensibilidade individual às variações cíclicas dos níveis de hormônios gonadal e serotonina. Isto sugere que elas podem predispor certas mulheres a experimentar variações no humor, comportamento e sintomas somáticos.

Os níveis de serotonina no sangue geralmente flutuam ao longo do ciclo. Durante a fase pré-menstrual feminina normal, quando os níveis de estrogênio e progesterona caem, os níveis de serotonina também caem. O distúrbio disfórico pré-menstrual compartilha sintomas com outros distúrbios causados por níveis anormais de serotonina, por exemplo, irritabilidade(10).

Conclusão

A serotonina é uma substância que afeta nossas vidas de muitas maneiras. Sua regulamentação é de vital importância, pois pode afetar nosso humor, apetite, memória e muitos outros fatores. Similarmente, existem muitos métodos simples para aumentar a serotonina que podem ser úteis em casos leves a moderados. Para casos mais graves há inibidores seletivos de recaptação de serotonina.

É sempre melhor consultar um profissional que possa ajudá-lo a encontrar a melhor maneira de aumentar seu nível de serotonina. Entender sua relevância e agir sobre ela irá melhorar sua qualidade de vida tanto física quanto mentalmente.

Se este artigo o ajudou a entender mais sobre a serotonina, por favor nos ajude deixando um comentário ou compartilhando-o em suas redes sociais.

(Fonte da imagem em destaque: Visalli: RNiBLy7aHck/ Unsplash)

Referências (10)

1. Ramos A de J, Noalles Dols A, Rujas Arranz A. Serotonina: un neurotransmisor que impacta nuestras emociones. RDI [Internet]. 15 de enero de 2019 [citado agosto de 2021];5(13)
Fonte

2. Berger M, Gray JA, Roth BL. The Expanded Biology of Serotonin [Internet]. The Annual Review of Medicine; 2009 [cited 2021Aug]
Fonte

3. Vilaplana M. Alimentación y neuronas. Elsevier. Revista Farmacia profesional; 2016.[cited 2021Aug]
Fonte

4. Hart C. Secrets of Serotonin, Revised Edition: The Natural Hormone That Curbs Food and Alcohol Cravings, Reduces Pain, and Elevates Your Mood [Internet]. St. Martin's Publishing Group; 2008 [cited 2021Aug]
Fonte

5. Pérez-García G, Liy Salmerón G, Meneses A. RECEPTORES SEROTONÉRGICOS Y MEMORIA. Revista Mexicana de Análisis de la Conducta; 2006. [cited 2021Aug]
Fonte

6. Young SN. How to increase serotonin in the human brain without drugs. Journal of Psychiatry and Neuroscience, and Department of Psychiatry, McGill University, Montréal, 2007. [cited 2021Aug]
Fonte

7. Pérez DV, Speranza DN, Tamosiunas DG, Ormaechea DG. Perfil de riesgo de los antidepresivos inhibidores selectivos de la recaptación de serotonina (ISRS). Rev. urug. med. interna; 2016. [cited 2021Aug]
Fonte

8. Chávez- León E, Ontiveros Uribe MP, Serrano Gómez C. Los antidepresivos inhibidores selectivos de recaptura de serotonina (ISRS, ISR-5HT). Mediagraphic. Salud Mental ; 2008. [cited 2021Aug]
Fonte

9. Van Patten Rivera A. Síndrome Serotoninérgico. Centro de Información de Medicamentos y Farmacoterapéutica Servicio de Farmacia Hospital San Juan de Dios, CCSS; 2015. [cited 2021Aug]
Fonte

10. León-García M. Serotonina, ciclo menstrual y síndrome premenstrual. Revista Medicina naturista; 2015. [cited 2021Aug]
Fonte

Por que você pode confiar em mim?

Artículo científico
Ramos A de J, Noalles Dols A, Rujas Arranz A. Serotonina: un neurotransmisor que impacta nuestras emociones. RDI [Internet]. 15 de enero de 2019 [citado agosto de 2021];5(13)
Ir para a fonte
Artículo científico
Berger M, Gray JA, Roth BL. The Expanded Biology of Serotonin [Internet]. The Annual Review of Medicine; 2009 [cited 2021Aug]
Ir para a fonte
Artículo Científico
Vilaplana M. Alimentación y neuronas. Elsevier. Revista Farmacia profesional; 2016.[cited 2021Aug]
Ir para a fonte
Artículo Científico
Hart C. Secrets of Serotonin, Revised Edition: The Natural Hormone That Curbs Food and Alcohol Cravings, Reduces Pain, and Elevates Your Mood [Internet]. St. Martin's Publishing Group; 2008 [cited 2021Aug]
Ir para a fonte
Artículo Científico
Pérez-García G, Liy Salmerón G, Meneses A. RECEPTORES SEROTONÉRGICOS Y MEMORIA. Revista Mexicana de Análisis de la Conducta; 2006. [cited 2021Aug]
Ir para a fonte
Artículo Científico
Young SN. How to increase serotonin in the human brain without drugs. Journal of Psychiatry and Neuroscience, and Department of Psychiatry, McGill University, Montréal, 2007. [cited 2021Aug]
Ir para a fonte
Revisión sistemática
Pérez DV, Speranza DN, Tamosiunas DG, Ormaechea DG. Perfil de riesgo de los antidepresivos inhibidores selectivos de la recaptación de serotonina (ISRS). Rev. urug. med. interna; 2016. [cited 2021Aug]
Ir para a fonte
Artículo científico
Chávez- León E, Ontiveros Uribe MP, Serrano Gómez C. Los antidepresivos inhibidores selectivos de recaptura de serotonina (ISRS, ISR-5HT). Mediagraphic. Salud Mental ; 2008. [cited 2021Aug]
Ir para a fonte
Artículo científico
Van Patten Rivera A. Síndrome Serotoninérgico. Centro de Información de Medicamentos y Farmacoterapéutica Servicio de Farmacia Hospital San Juan de Dios, CCSS; 2015. [cited 2021Aug]
Ir para a fonte
Artículo científico
León-García M. Serotonina, ciclo menstrual y síndrome premenstrual. Revista Medicina naturista; 2015. [cited 2021Aug]
Ir para a fonte
Resenhas