pirógrafo
Ultima atualização: 21 de novembro de 2020

Como escolhemos

12Produtos analisados

17Horas investidas

3Estudos avaliados

68Comentários coletados

As artes manuais são as mais antigas formas de expressão da criatividade. Entre tantas técnicas, uma é particularmente encantadora: a gravação em madeira, com desenhos e textos impressos em quadros, baús e outras peças por meio da utilização do pirógrafo. Essa ferramenta permite transferir para a madeira todas as suas inspirações de forma simples e rápida.

Mesmo com a evolução da tecnologia, o pirógrafo conserva seu funcionamento baseado no calor para queimar os traços pretendidos sobre a peça escolhida. Se você deseja se aventurar por essa técnica, está no lugar certo. Aqui, daremos todas os detalhes a respeito do pirógrafo e de como encontrar o modelo ideal para colocar seus talentos em ação. Siga com a gente!




O mais importante

  • O pirógrafo funciona, normalmente, com eletricidade. Ele se aquece a altas temperaturas e podem causar graves incidentes e até mesmo incêndios. Por este motivo, é fundamental adotar medidas de segurança e seguir as orientações do fabricante na hora do uso.
  • Quem está começando no mundo da pirografia deve escolher uma ferramenta de modelo mais simples. Os de cabo, em forma de caneta, são a melhor opção para iniciantes, pois costumam ser leves, práticos e mais acessíveis.
  • A regulagem de temperatura é uma das principais características que devem ser levadas em conta na hora de escolher o melhor pirógrafo. Com maior possibilidade de ajuste do calor, será possível trabalhar em materiais distintos e garantir um melhor acabamento tanto em ilustrações quanto na caligrafia.

Os melhores pirógrafos do mercado: nossos favoritos

O pirógrafo com 60 níveis de temperatura

Entre as mais tradicionais no mercado das artes manuais, a marca Palante já produz pirógrafos há quase 50 anos. Ideal para gravações em madeira, couro, veludo e cortiça, ele inclui kit com 5 ponteiras distintas e chave de fenda.

Com controle eletrônico de temperatura, ele permite uso contínuo de até 4 horas, em potência baixa. Os 60 níveis de ajuste do calor tornam mais fácil definir tons de sombreamento, para trabalhos ainda mais detalhados.

O pirógrafo a gás para uso profissional

Prático e multifuncional, o pirógrafo a gás Versatip possui várias ponteiras que permitem aplicar técnicas de pirografia, gravação, solda e modelagem em materiais que vão do PVC à madeira, passando pelo couro e a borracha.

Definido para uso profissional, ele traz design ergonômico, em formato de caneta, para garantir mais precisão e acesso fácil aos pontos mais estreitos.

O pirógrafo multiuso indicado pela Amazon

Desenvolvido com alta tecnologia específica para gravações, esse pirógrafo é muito fácil de usar. Pequeno, prático e leve, ele conta com apenas dois botões, o que facilita o manuseio.

Assim, fica mais fácil fazer desde os traços finos até os mais grossos e fundos. Com apenas 360 gramas, o equipamento tem 35W de potência e pode ser usado em materiais como metal, plástico, vidro, cerâmica, madeira e couro.

Guia de compras: O que você precisa saber sobre o pirógrafo

Se você gosta de trabalhos artesanais e sempre fica encantado ao ver peças com gravações em madeira, o pirógrafo é a ferramenta certa para completar seu ateliê. Mas, se ainda tem alguma dúvida sobre este equipamento, acompanhe esta seção. Aqui, vamos responder às perguntas mais frequentes dos compradores on-line. Vamos começar?

pirógrafo

A maioria dos modelos de pirógrafos funciona conectado à energia elétrica. (Fonte: Nielsen: 97890522/ 123rf.com)

O que é um pirógrafo?

A pirografia é uma técnica de desenho e decoração que consiste na aplicação de uma ponta incandescente sobre a superfície do material. Ela pode ser empregada em diversos materiais, ainda que o mais comum seja a madeira.

O pirógrafo é capaz de decorar peças em madeira, couro, papel e EVA.

Para trabalhar em cada tipo de superfície, basta regular a intensidade do calor emitido pela ponteira da ferramenta. Normalmente, o próprio equipamento conta com indicações impressas do material ideal em cada nível de calor. No entanto, sempre haverá essa informação no manual de instruções do produto.

O resultado final da pirografia é um desenho gravado na superfície da peça escolhida. Isso explica o nome da técnica, que vem do grego “piros”, que significa fogo e “graphos”, que significa escrita.

Quais as partes de um pirógrafo?

Agora que você já sabe o que é um pirógrafo, chegou a hora de conhecer as partes que compõem essa ferramenta. É importante ter essa informação, pois isso ajudará muito quando for escolher o modelo ideal para as suas atividades artesanais. Assim, as partes principais de um pirógrafo são:

  • Cabo ou empunhadura: É a parte mais importante da ferramenta, também chamada de caneta. Na maioria dos modelos, é do tamanho da mão. Ele conta com um cabo flexível que se conecta à corrente elétrica e recebe o calor. Na extremidade, fica a ponteira, responsável pela gravação na madeira;
  • Ponteiras: São as peças que concentram o calor gerado pelo aparelho. Quando a ponta fica incandescente, está pronta para começar a desenhar. Para isso, basta deslizar sobre a superfície, como uma caneta, usando as técnicas corretas para cada objetivo. Existem muitos tipos de ponteiras, cada uma com espessura e modelagem distinta, para um propósito específico;
  • Fonte de alimentação: É a parte que inicia a pirografia. Normalmente, a alimentação é feita por meio de corrente elétrica (110 ou 220V), mas também existem os aparelhos a gás butano ou a bateria;
  • Conector: É a ligação entre a fonte de alimentação e o cabo do seu pirógrafo. Para sua segurança, sempre tenha certeza de que o cabo está inserido corretamente neste conector;
  • Regulador de temperatura: Este é outro elemento fundamental. Por meio dele, é possível controlar a intensidade de calor que chega à ponteira do pirógrafo. Assim, você consegue trabalhar em diversos materiais, o que torna a ferramenta ainda mais versátil;
  • Interruptor: É o responsável por liberar ou interromper o fluxo de energia. Sempre que não estiver trabalhando, o aconselhável é manter o interruptor na posição "desligado". Além de economizar energia, essa prática é importante para evitar riscos de acidentes.
pirógrafo

Para quem está começando a realizar trabalhos com o pirógrafo, o indicado é optar por um modelo mais simples e leve. (Fonte: Busik1: 66584391/ 123rf.com)

Quais materiais podem ser trabalhados com o pirógrafo?

Alguns modelos de pirógrafo permitem trabalhar sobre uma gama variada de materiais. O mais normal, no entanto, é que ele permita a gravação em madeira e couro. Porém, de acordo com as características da ferramenta, a regulagem do calor e o tipo de ponteira, é possível trabalhar em:

  • Madeira: A madeira é o melhor material para a aplicação da pirografia. Isso porque trata-se de um material muito fácil de manejar, firme e maleável ao mesmo tempo. Não importa a espessura. Quer seja uma placa fina ou uma superfície robusta, a madeira sempre vai proporcionar bons resultados;
  • Couro: Também muito utilizado nesta técnica, o couro está mais relacionado às peças de joalheria e acessórios. Por ser muito versátil, é geralmente utilizado em pulseiras e sapatos;
  • Papel: Apesar de parecer estranho "queimar" o papel, ele é um dos materiais mais utilizados para a técnica. Dependendo da textura e espessura do papel, será possível conseguir efeitos e peças mais ou menos elaborados;
  • Vidro: A pirografia sobre vidro é uma prática tradicional e muito minuciosa. Ela permite criar desenhos e detalhes sobre copos, taças, espelhos e até vidraças.

Quais tipos de pirógrafo existem no mercado?

Atualmente, é possível encontrar distintos tipos de pirógrafos à disposição no mercado. Como é uma ferramenta relativamente simples, não existem muitas diferenças explícitas entre cada um deles. A maior distinção estará em suas funcionalidades.

De modo geral, a primeira classificação pode ser entre o equipamento profissional e o doméstico. Mas, além disso, há outras características que podemos destacar:

  • Pirógrafo de uma caneta: Desenvolvido para uso individual. Conta com regulador de temperatura e fusível de segurança;
  • Pirógrafo profissional de duas canetas: Geralmente de uso industrial, permite que duas pessoas trabalhem simultaneamente utilizando a mesma fonte de calor. É o tipo mais potente;
  • Pirógrafo simples: Muito acessível e simples, é um modelo em que o cabo da caneta costuma ser conectado diretamente à tomada. Normalmente, não possui regulagem de temperatura nem proteção contra instabilidade na corrente elétrica.

É melhor um pirógrafo profissional ou doméstico?

Depois de conhecer os tipos de pirógrafo, é normal que você se pergunte qual deles é o mais adequado para o seu caso. Então, vamos refletir sobre alguns pontos. Qual será a finalidade desta ferramenta? Ela será usada com frequência ou apenas em detalhes eventuais?

O que queremos mostrar aqui é que, dependendo do que você pretende fazer com o pirógrafo, pode ser mais interessante optar por um ou outro modelo. Se vai se dedicar à produção de muitas peças, como uma forma de empreender, por exemplo, é melhor investir em um equipamento profissional.

Por outro lado, se a intenção é ter a ferramenta à disposição para usar eventualmente, a alternativa mais viável é escolher um pirógrafo mais simples, sempre prezando pelos itens de segurança, se possível.

pirógrafo

O regulador de temperatura é uma das principais características que devem ser observadas na hora de escolher o melhor pirógrafo. (Fonte: Shironosov: 100775476/ 123rf.com)

Quais os complementos indispensáveis para um bom pirógrafo?

A maioria dos modelos de pirógrafo costuma vir acompanhado por diferentes acessórios. O mais comum é que incluam um jogo de ponteiras, que é um componente indispensável para a aplicação da técnica.

No entanto, se você deseja ter mais opções de acabamentos e detalhes em suas peças, pode procurar por modelos que tragam estes complementos, que vão garantir mais versatilidade e eficiência aos seus trabalhos:

  • Ponteiras: é possível comprá-las avulsas, em pequenos kits ou caixas completas. Se possível, opte pela caixa. Com ela, você terá todas as opções de ponteiras para qualquer trabalho que deseje executar;
  • Canetas: contar com uma caneta extra é sempre uma boa opção. Assim, você poderá trocá-la quando começar a se desgastar. As melhores opções são as canetas em madeira ou em borracha. Os dois materiais são isolantes, mas a borracha é mais confortável;
  • Suporte: esse item é fundamental, especialmente para evitar queimaduras. Alguns modelos vem em uma espécie de caixa que abriga a fonte de alimentação, o seletor, um compartimento para as ponteiras e, ainda, o apoio de suporte para a caneta em uso.

Como utilizar o pirógrafo?

Um dos principais problemas dos artesãos que não tem experiência com o pirógrafo é como começar a usar a ferramenta. Muitos artistas, quando iniciam na pirografia, não conseguem fazer a caneta deslizar ou aplicam força demais e acabam entortando as ponteiras..

Para evitar esses problemas e deixar algumas dicas que vão facilitar a execução dos seus trabalhos, preparamos um passo a passo para simplificar o uso do pirógrafo:

  1. Coloque a ponteira escolhida na caneta e certifique-se de que esteja bem firme. Não é necessário o uso de nenhuma ferramenta para a troca. Mas é fundamental comprovar que a peça está bem conectada, sem movimento ou folga no aperto;
  2. Deixe o seletor da temperatura no mínimo. Lembrando que apenas os modelos com regulagem de temperatura possuem essa opção;
  3. O cuidado com o ajuste da temperatura é crucial. Se a regulagem estiver em um ponto diferente do mínino ao logar o pirógrafo, você queimará a ponteira do aparelho;
  4. Conecte o pirógrafo à corrente elétrica e ligue o interruptor;
  5. Gire o seletor de temperatura de forma gradual até chegar no nível desejado, compatível com o material que será trabalhado;
  6. Basta aguardar alguns segundos até que a ponteira fique incandescente e começar a trabalhar.

pirógrafo

A pirografia é uma técnica de desenho e decoração que se realiza por meio da aplicação de uma ponteira incandescente sobre a superfície. (Fonte: Malucchi: 139409585/ 123rf.com)

Critérios de compra

Até aqui, falamos sobre a técnica da pirografia, as características de cada tipo de pirógrafo e a forma correta de utilizar a ferramenta. Diante disso, você já poderia até finalizar o seu carrinho de compras e começar a tornar suas artes ainda mais especiais. Porém, é preciso estar atento a alguns critérios de escolha para ter sucesso na sua nova aquisição. Veja o que destacamos:

Fonte de alimentação

A fonte de alimentação é um fator importante na hora da compra. Como dissemos no início, a maioria dos modelos de pirógrafo são movidos a energia elétrica. Ainda que existam os aparelhos a gás, eles são raros no mercado e costumam ser mais potentes e perigosos, apesar da vantagem de não contar com cabos.

O pirógrafo elétrico é a melhor opção, especialmente para iniciantes, seja pelo preço ou pela facilidade de adquirir prática com um equipamento mais leve e seguro, que normalmente conta com regulador de temperatura e proteção contra sobrecarga.

pirógrafo

Potência

Todos os pirógrafos elétricos funcionam por meio de um cabo conectado à rede de energia. Estes modelos são os que apresentam maior diferença entre si no que diz respeito à potência. É possível encontrar, por exemplo, aparelhos que vão desde os 15 até os 60V.

No que diz respeito à estes valores, é sempre bom ter em mente que, quanto mais potência, melhor! Isso porque é ela quem vai garantir uma maior amplitude térmica e, consequentemente, mais versatilidade no seu trabalho.

Para trabalhos grandes, em madeiras mais duras e robustas, um modelo a gás pode ser a melhor opção para garantir a temperatura necessária. Em qualquer um dos casos, é sempre bom verificar a potência informada pelo fabricante, para ter certeza de que será suficiente para suprir suas expectativas.

Funções

O ideal é que você escolha um pirógrafo multifuncional. Este tipo de equipamento é mais versátil e permite a execução de trabalhos nos mais diversos materiais. Os modelos mais baratos, normalmente estão aptos para uso em madeira ou metal.

Já os mais sofisticados costumam ter maior amplitude térmica e, combinando essa qualidade com um bom jogo de ponteiras, você certamente poderá fazer suas criações em plástico, couro, EVA e até vidro.

Além disso, vale a pena buscar por funcionalidades extras, como a de soldador de estanho, que podem ajudar em pequenas tarefas do dia a dia. Mais uma vez, reforçamos a importância de optar por aparelhos com funções como desligamento automático e monitoramento da temperatura.

pirógrafo

Alguns pirógrafos permitem o trabalho sobre vários materiais. O mais normal é que o aparelho seja usado em madeira e couro, mas existem aparelhos capazes de desenhar até no vidro. (Fonte: Dgemma: 54158257/ 123rf.com)

Design

Como não existe muita diferença entre os modelos, é comum que os fabricantes procurem, no design, a forma de diferenciar o seu produto. No caso do pirógrafo, uma das características que permite maior personalização é a empunhadura — ou o cabo — da caneta.

A maioria dos pirógrafos conta com desenho ergonômico, que facilita a empunhadura durante o trabalho. A grande diferença costuma estar nas formas e cores desta peça. Além de atrativo, é uma boa maneira de deixar o processo de criação mais divertido e confortável.

Na hora de escolher, procure ter atenção a este aspecto. Busque por modelos que tenham medidas reduzidas e sejam produzidos com materiais que permitam o uso cômodo, sem risco de escorregar ou transferir calor para as mãos.

pirógrafo

O pirógrafo costuma incluir diferentes acessórios entre suas opções de compra. Os mais comuns são os kits de ponteiras. (Fonte: Svetlanacherruty: 110681503/ 123rf.com)

Segurança

Estamos falando de uma ferramenta manual, usada a alta temperatura. Isso significa que é preciso manter o sinal de alerta sempre ativado! Se você optar por um modelo elétrico — que é o mais provável —, verifique se ele contém fusível contra sobrecarga, para evitar o risco de um curto circuito ou pane elétrica.

Outra preocupação deve ser com a empunhadura e os cabos, como já comentamos. Certifique-se de que a caneta é produzida em material isolante e que os cabos de transmissão da energia sejam resistentes à quantidade de calor que vai transferir.

Antes da sua decisão final, considere com cuidado os itens de segurança. São eles que vão garantir um trabalho tranquilo e prazeroso. Portanto, cuidado com os modelos muito baratos, que podem ter componentes de baixa qualidade e pouca resistência.

Resumo

A pirografia é uma técnica minuciosa que agrada os olhos de quem vê e traz bem estar a quem pratica. Para tornar possível a gravação da sua arte em madeira ou outros materiais, o uso de um bom pirógrafo é indispensável. Ele atua "queimando" a superfície para deixar gravado o desenho desejado, de forma permanente.

Neste artigo, explicamos como é o funcionamento deste equipamento, quais materiais podem ser utilizados e qual é a forma correta de utilizar o aparelho para conseguir os melhores resultados em seus trabalhos artísticos. Além disso, fizemos questão de detalhar alguns pontos que merecem atenção na hora da compra para garantir a sua segurança e a qualidade do seu artesanato.

Esperamos que você tenha gostado deste material e já esteja pronto para escolher o melhor pirógrafo de 2020. Aproveite para compartilhar este guia com outros amigos que também gostam de trabalhos manuais. Um abraço e até a próxima!

(Fonte da imagem destacada: Bizoon: 27645921/ 123rf.com)

Por que você pode confiar em nós?