Desde o avião que lhe transporta nas férias, até a fivela de seu cinto, passando pela placa mãe de seu computador, tudo está unido mediante rebites. A rebitadeira é uma ferramenta muito prática, econômica e extremamente útil em uma grande variedade de serviços, desde a mecânica até a fabricação de calçados e acessórios.

Logicamente, não é uma mesma rebitadeira que é a responsável por unir as ferragens de um avião do que uma que une as tiras de um bolso. No mercado você vai encontrar equipamentos manuais, compactos, hidráulicos e elétricos. Nesse artigo, será explicado tudo o que precisa saber para que escolha a melhor rebitadeira do mercado e desfrute bastante dela.

O mais importante

  • A rebitadeira é uma ferramenta muito simples de utilizar. O rebitar é a forma mais antiga de união de materiais que a humanidade conhece e ainda continua sendo bastante útil. Essa ferramenta funciona aplicando pressão em um rebite que se abre unindo duas peças.
  • Os rebites geralmente são fabricados por algum tipo de metal. No geral, alumínio ou ligas de aço. Os rebites mais fortes são de aço tratado para resistirem a altas pressões. Esses são usados em veículos expostos às pressões atmosféricas altas.
  • No mercado você encontrará rebitadeiras manuais simples, leves e econômicas que poderá utilizar tanto em sua oficina quanto em sua casa. Também existem as pneumáticas e elétricas, recomendadas para trabalhos de pressão e para união de materiais duros e, por último, rebitadeiras industriais. Essas podem chegar a pesar mais de 100 kg e geralmente estão vinculadas a uma coluna.

Ranking: A melhor rebitadeira do mercado

Se você quer fixar rebites, unir peças, poupar tempo e agilizar as tarefas de carpintaria e mecânica, então precisa de uma rebitadeira. Escolher a melhor pode ser complicado, sobretudo se nunca usou ou teve uma antes. Depois de analisar o mercado e comparar as opções, surgiu essa lista a fim de lhe ajudar a entender melhor sobre as cinco melhores rebitadeiras do mercado.

1º – Rebitadeira Stanley MR77C

Se a rebitadeira é uma das ferramentas mais úteis nas mais diversas áreas profissionais, nada melhor do que ter uma manual, simples, mas com uma potência tremenda de ação, não é mesmo? A Stanley MR77C é toda fabricada em aço reforçado e possui uma ótima empunhadura curvada para melhorar a ergonomia de sua operação.

Outro diferencial desse modelo é sua cabeça giratória de 360 graus, possibilitando a instalação dos rebites nos locais mais diversos. Ela é confeccionada especialmente para profissionais e até mesmo para amadores, pois, seu preço ainda é considerado acessível devido sua durabilidade.

2º – Rebitadeira Pneumática Vonder

Esse modelo Pneumático da Vonder possui um kit com alguns poucos acessórios, mas entre os presentes estão 5 ótimos bicos removíveis. Ele possui uma empunhadura anatômica, acionamento por gatilho e é feito especialmente para trabalhar com rebites de alumínio.

Esse equipamento é um dos campeões de venda da marca e devido sua funcionalidade e alto preço, é indicado para profissionais de linhas de produção.

3º – Rebitadeira Tramontina

A Tramontina é uma das marcas brasileiras mais respeitadas e presente nos lares e trabalhos do país. Com essa sua rebitadeira com o corpo todo produzido em alumínio fundido, castanhas em aço especial temperado e cabos em chapas de aço conformadas, certamente esse seu protagonismo permanecerá intacto.

Além disso, o equipamento conta com 5 bocais diferentes e que suportam rebites de alumínio, aço e aço inox 3.2, 4, 4.8, 6 e 6.4 mm. Ideal para trabalhos rápidos e com perfeição.

4º – Rebitadeira Tipo Alavanca Irwin

Essa rebitadeira da Irwin é ideal para trabalhar com rebites de repuxo, podendo utilizar rebites de aço, alumínio ou mistos. A ferramenta é toda produzida em aço ou alumínio, além de possuir um ótimo revestimento nas alças, garantindo conforto e robustez na operação do trabalho.

A marca investe em um dos acessórios mais simples, porém, interessantes presentes no mercado: um reservatório especial para armazenar os mandris usados. Além disso, ela promete maior velocidade e menos força na aplicação do rebite, poupando desgaste do operador.

5º – Rebitadeira Manual Vertical Hoteche

Esse modelo da Horteche é um dos mais baratos do mercado, mas ainda conta com corpo cromado em alumínio e mandíbulas de aço temperado, garantindo robustez, durabilidade do equipamento e um ótimo custo-benefício.

O seu movimento é carregado com um sistema de molas, o que ajuda bastante na hora de fazer pressão, evitando um desgaste muito grande. Certamente uma ótima opção para quem deseja usar o item esporadicamente ou não possui tanto dinheiro para investir inicialmente.

Guia de Compras: O que você deve saber sobre a rebitadeira

Se você já está decidido a comprar uma rebitadeira, antes de efetivar uma compra, deveria comparar as mais diferentes opções disponíveis no mercado e, além disso, conhecer melhor a ferramenta. A fim de lhe auxiliar em todo esse processo, foi feito esse completo Guia de Compras que visa responder todas aquelas questões e dúvidas mais habituais que surgem sobre esse tema.

Imagem de homem utilizando rebitadeira.

Além das rebitadeiras manuais e industriais da seção anterior, também existem vários modelos de rebitadeiras pneumáticas no mercado. (Fonte: Dmitriy Shironosov: 67859210 / 123rf.com)

O que é uma rebitadeira?

A rebitadeira é uma ferramenta que é geralmente muito utilizada devida ser muito prática e econômica. Tem um desenho parecido com o de uma pinça, mas se difere pelo seu tamanho, já que é bem maior. A função da rebitadeira é unir duas peças de diferentes ou mesmos materiais. Em função do tipo de rebite ou rebitadeira usada, a espessura do objeto pode variar.

Existem diferentes tipos de rebitadeiras, desde as manuais compactas, até as rebitadeiras industriais. Algumas dessas ferramentas, especialmente as pneumáticas, podem chegar a pesar mais de 100 kg.

foco

Esses equipamentos são utilizados para rebitar placas muito duras, por exemplo, para a fuselagem de avião, barcos ou transatlânticos.

Como funciona uma rebitadeira?

A rebitadeira manual funciona mediante pressão. Normalmente, ela dispõe de diferentes mandris com medidas diferentes para cada tipo de rebite que existe. No uso, se coloca um rebite de tamanho adequado no mandril e se exerce pressão com ambas alças até que o final da haste se abra e se quebre, deixando a outra parte fixada.

A rebitadeira pneumática funciona com ar comprimido. Essas ferramentas utilizam o ar comprimido de um compressor e, com o apertar do gatilho, lança o rebite com força. Esse modelo é usado, sobretudo, para trabalhos que requerem muita pressão, por exemplo, para placas de metal ou de aço.

Ferramentas sobre mesa.

Os rebites são elementos de fixação que são usados para unir de forma permanente duas ou mais peças. (Fonte: pawelproc: 105532922 / 123rf.com)

Quantos tipos de rebitadeira existem no mercado?

As rebitadeiras geralmente variam de acordo com suas funções desempenhadas. Como você já sabe, existem rebitadeiras manuais e pneumáticas. Entretanto, no mercado você poderá encontrar mais outros equipamentos com algumas características específicas que deveria conhecer mais antes de escolher a melhor opção para sua casa.

A seguir, uma tabela mostrará quais tipos de rebitadeira existem no mercado e quais são suas características:

Tipo de rebitadeira Características
Rebitadeira manual A mais comum. Mais barata. Dispõe de mandris para diferentes tamanhos. Conhecida como rebitadeira pop
Rebitadeira de sanfona De funcionamento manual. Só é usada com rebites pequenos: 2,4, 3,2, 4,0, 4,8, 5 e 6 mm. Geralmente são mais adequadas para trabalhos profissionais
Rebitadeira de pinça C Diferentes tamanhos de acordo com sua finalidade. É acionada por um pedal e trabalha junto a uma bomba oleopneumática. Dispõe de diferentes porcas de acordo com sua função a ser desempenhada. Essas porcas são utilizadas para extrair os rebites. Permite perfurar chapas de alumínio
Rebitadeira de coluna Pesa mais de 100 kg. Acionada mediante pedal pneumático. Funciona com ar comprimido. Dispõe de válvulas para regular a mangueira de ar e a pressão
Rebitadeira de bancada Muito parecida com a de coluna. Pesa 60 kg. Possui um sistema flexível de punção

Quais tipos de rebitadeira pneumática existem?

Além das rebitadeiras manuais e industriais especificadas na seção anterior, existem vários tipos de rebitadeiras pneumáticas no mercado. Esses equipamentos são perfeitos para realizar trabalhos profissionais. Normalmente, utilizam rebites mais duros e que seriam praticamente impossíveis de serem rebitados a mão.

A seguir, uma tabela, preenchida com os mais diferentes tipos de rebitadeira pneumática que você pode encontrar no mercado, detalhará alguns desses objetos e suas características:

Uso Características Tipos
Pneumáticas manuais

Operam de forma simples
Leves e compactas
Com caixa recolhedora
Sucção de hastes
Contador de ciclos
Bocais removíveis
Mais eficientes, pois, utilizam menos ar

Para inserções rosqueadas

Pneumática de impacto

De banco ou de pé

De maior tamanho
Peso a partir de 60 kg
Uso industrial
Não são portáteis
Ficam presas a um banco ou uma coluna

Deformação radial de metal

Deformação radial dupla de metal

Inserções hexagonais rosqueadas

Qual a utilidade de uma rebitadeira?

A rebitadeira é usada sobretudo em oficinas de carpintaria e mecânica. Seu principal uso é fazer rebites sobre peças que precisam permanecer fixadas umas as outras. Os rebites são os encaixes de duas peças onde a rebitadeira cumpre o papel de ser a cabeça de uma das duas. Assim, ao introduzi-los através de um tubo cilíndrico, permanecerão unidas.

Os tamanhos e os materiais dos rebites podem variar de acordo com as peças que eles precisam unir, mas não se preocupe, eles são muito fáceis de serem trocados e se adaptam de acordo com a finalidade desejada. As rebitadeiras são usadas na aeronáutica, fabricação de automóveis, fabricação de peças para computadores, oficinas mecânicas, carpintaria e todo tipo de profissões relacionadas com a construção.

O que são os rebites?

Os rebites são elementos de fixação que são usados para unir de forma permanente duas ou mais peças. Consistem em um tubo cilíndrico chamado haste e em seu fim encontra-se a cabeça. As cabeças possuem um diâmetro maior que o resto do rebite para que ao introduzi-lo em um buraco o encaixe seja perfeito.

O rebite é um dos métodos de união mais antigos que existem. Hoje em dia, sua importância como técnica de montagem é mais relevante que nunca. Isso se deve, em parte, ao desenvolvimento de técnicas de automatização que conseguem baratear o processo de união. O rebitar é usado principalmente na automação, industria militar e fabricação de eletrodomésticos.

Quais tipos de rebites existem?

Da mesma forma que acontece com as rebitadeiras, você será capaz de encontrar no mercado vários tipos diferentes de rebites. Cada um deles é indicado para um tipo específico de união. Os rebites são muito úteis e, além disso, é um método de união muito econômico e simples de ser usado na maioria das indústrias. A seguir, estão listados os tipos de rebites que existem:

  • Rebites de compressão: Os mais comuns. Formados por uma haste e uma cabeça que se achata, unindo ambas partes.
  • Rebites cegos: Podem ser com mandril de estiramento, com um fio passador guiado, rosqueados ou expandidos quimicamente.
  • Rebites de golpe: Esse tipo de rebite precisa de um martelo para sua instalação.

Quais são as recomendações para o uso de uma rebitadeira?

Você deve sempre ter em mente que, para unir duas superfícies, é preciso ter em mãos os rebites adequados. Para saber qual o rebite correto a ser usado, não se esqueça de medir a espessura de ambas superfícies, pois, dependendo da espessura, a cabeça do rebite deverá ser maior. O diâmetro do furo também é muito importante, assim como os materiais que pretende unir.

A seguir, você poderá ficar por dentro de algumas recomendações básicas sobre o uso dos rebites e rebitadeiras:

  • A resistência alcançada com um rebite é inferior ao que se pode conseguir com um parafuso;
  • A união com rebites não é desmontável, o que acaba por dificultar sua manutenção. Mas, apesar disso, retirar o rebite é simples e você só precisa de uma parafusadeira com um diâmetro igual ao do rebite;
  • Uma vez retirados, os rebites não podem mais ser utilizados;
  • Os rebites não são adequados para unir peças de grande espessura.

Critérios de Compra

A rebitadeira é uma dessas ferramentas que não se pode faltar na caixa de bricolagem. Logicamente, também deveria estar presente em qualquer oficina, seja mecânica, hidráulica ou de eletricidade. A fim que você faça a melhor escolha do mercado, foram selecionados alguns Critérios de Compras para que você avalie bem antes de partir para o fim de sua busca.

  • Mecanismo de funcionamento
  • Peso
  • Ergonomia
  • Materiais de fabricação
  • Acessórios

Mecanismo de funcionamento

É importante que você considere o mecanismo de funcionamento do equipamento na hora da escolha de uma rebitadeira. No mercado você poderá encontrar três tipos básicos: manuais, elétricos e pneumáticos. Cada tipo possui suas vantagens e desvantagens, sendo conveniente de acordo com as necessidades e usos que vai aplicar.

Nesse sentido, a rebitadeira manual é mais utilizada para trabalhos de bricolagem e necessidades domésticas. Possui uma grande variedade de aplicações, mas necessita de força manual para ser usada. As pneumáticas e elétricas são mais utilizadas em âmbitos profissionais e industriais, pois, conseguem ser mais precisas.

Peso

O peso é um fator fundamental na hora de selecionar o modelo e design de sua rebitadeira, já que também será disso que dependerá seu nível de cansaço após cada uso. O tipo de funcionamento também condiciona esse fator, por exemplo, as manuais geralmente pesam muito menos, já que precisam de um maior esforço em suas operações.

As elétricas, e principalmente as pneumáticas, são ferramentas muito pesadas, pois, seus funcionamentos são automáticos. Alguns modelos de rebitadeiras pneumáticas podem chegar a pesar 100 kg. As de uso doméstico, geralmente não superam os 900 gramas e as elétricas não devem pesar mais do que 5 kg.

Ergonomia

Por se tratar de ferramentas de trabalho para uma oficina, lar ou carpintaria, é importante que a rebitadeira seja de boa qualidade e econômica. Mas, também é importante que disponha de um design ergonômico que facilite seu manuseio. As rebitadeiras antigas eram pesadas e incômodas, acabando, muitas vezes, por machucarem as mãos e braços do usuário.

Os modelos mais modernos dispõem de alças ou asas de fixação. A maioria são fabricadas em metais leves e possuem a alça recoberta por algum tipo de plástico ou borracha antideslizante e cômoda para a pegada. Assim, se evita que os braços ou mãos sofram por causa do cansaço durante o trabalho.

Materiais de fabricação

Se deseja saber quanto custa uma rebitadeira, você primeiro deve perguntar quais tipos de materiais foram usados em sua fabricação. De acordo com isso, poderá ter uma ideia do valor dessa ferramenta. Lembre-se que quanto melhores forem esses materiais, mais cara será a rebitadeira. Assim, irá encontrar ferramentas que cabem em qualquer bolso.

No caso das rebitadeiras manuais, procure as que são fabricadas com metais, em uma combinação de aço e alças revestidas com algum tipo de método que permita uma melhor ergonomia na pegada. As rebitadeiras pneumáticas e elétricas geralmente são fabricadas em metal e plástico de alto nível de resistência para que fiquem mais atrativas e funcionais.

Acessórios

Se vai comprar uma rebitadeira, os usuários experientes e também os especialistas recomendam que analise se o modelo escolhido possui acessórios inclusos. O mais recomendável é que opte por um modelo com o maior número possível de peças pelo menor preço e, dessa forma, adquirir todos os principais complementos sem precisar ter que fazer gastos adicionais no primeiro momento.

A maioria possui bocais removíveis, já outras dispõem de vários pacotes de rebites de diferentes medidas e espessuras. A maleta, ao que parece, é um dos acessórios mais úteis, pois, te permite manter a ferramenta protegida e com tudo organizado.

Resumo

Como foi visto, a rebitadeira é uma ferramenta indispensável para qualquer oficina e, se você for alguém apaixonado por bricolagem, também não pode deixar de ter uma em sua caixa de ferramentas. Se procura um método para unir duas peças de metal, o rebite é o mais indicado, pois, é barato, rápido e muito duradouro.

Certamente, você encontrará no mercado novos modelos de rebitadeiras. Existem de muitos tipos e com funcionalidades e designs muito diferentes. Cada uma é fabricada para um tipo de uso específico. Antes de escolher a rebitadeira perfeita, pense em suas necessidades, no espaço que dispõe e no uso que pretende fazer desse instrumento.

Se gostou desse artigo, deixe um comentário ou compartilhe com seus amigos e familiares para que eles também encontrem a melhor rebitadeira do mercado.

(Fonte da imagem destacada: cuchina: 90995935 / 123rf.com)

Avalie esse artigo

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
47 Voto(s), Média: 5,00 de 5
Loading...