camaleon

Quando alguém ouve falar sobre um terrário pela primeira vez, o mais provável é que não faça a mínima ideia do que se trata. Talvez porque o nome não faça menção direta à sua utilidade. O terrário nada mais é do que um abrigo, um espaço protegido que imita as características do habitat natural de répteis e anfíbios como lagartos, lagartixas, tartarugas e até serpentes.

Adotar um novo animal de estimação é uma experiência motivadora, que pode trazer alegria e descontração. No entanto, é preciso ter responsabilidade no cuidado com o seu pet, proporcionando um local em que ele se sinta seguro e confortável. O terrário é a opção ideal para quem pretende ter em casa um bichinho de estimação menos convencional.




O mais importante

  • Seja qual for o animal de estimação que você escolha, ele precisa ter um local apropriado para viver. Se isso não ocorre, é provável que ele se sinta ameaçado e estressado.
  • Quando o terrário for a opção mais adequada, você precisará levar em conta aspectos com o tipo de animal, sua raça e estilo de vida. Além disso, será preciso avaliar se possui espaço suficiente e se outros animais da casa não poderão representar uma ameaça ao seu novo pet.
  • Geralmente, os répteis não gostam de compartilhar o próprio espaço. Por isso, caso tenha mais que um desses animais, o mais apropriado será adquirir um terrário para cada um deles. Isso é comum, os répteis são territorialistas e muito “desconfiados”.

Os melhores terrários do mercado: nossas recomendações

O modelo de terrário à prova de fugas

De tamanho médio, esse terrário é ideal para répteis como lagartos e pequenas tartarugas. Ele conta com tampa plástica e ventilação superior. A grande vantagem é que este modelo apresenta uma pequena abertura com tampa deslizante que permite alimentar seu pet sem abrir completamente o terrário, evitando eventuais fugas.

Com medida de 30 por 30 centímetros e 20 centímetros de altura, tem vedação perfeita, permitindo, inclusive, o uso de substratos úmidos.

O terrário ideal para grandes répteis

O design vertical desse terrário permite abrigar animais que gostem de ficar suspensos e se acomodar em galhos de árvores, por exemplo. Produzido em vidro, com porta de correr lateral, ele conta com ventilação adequada para manter o ambiente ao mesmo tempo úmido e arejado.

O tamanho do terrário — 90 centímetros de altura por 45 de largura — exige que haja um bom espaço disponível para acomodá-lo na casa.

O mini terrário para plantas e pequenos répteis

Mesmo com tamanho reduzido, esse terrário, ideal para o cultivo de plantas, pode se tornar um atrativo para pequenos insetos. Ele simula o ambiente natural, principalmente para espécies que necessitam de um ambiente com mais umidade.

A vantagem é que ele pode ficar suspenso e ocupa muito pouco espaço, podendo ser instalado em vários locais. Praticamente qualquer planta pode ser mantida nesse terrário, assim como pequenos répteis, como as lagartixas.

Guia de compras: O que você precisa saber sobre o terrário

Pode até parecer, mas manter um réptil ou anfíbio em casa não é tarefa simples. As pessoas acreditam que é igual criar um gato ou cachorro, mas não é. Tudo é muito diferente: alimentação, cuidados e o habitat em que vivem. É sobre esse último item que vamos tratar a fundo neste guia, para que você tenha as melhores coordenadas para cuidar do seu novo pet.

Brave boy gets Royal python out of terrarium

Escolher entre um ou outro tipo de terrário depende, exclusivamente, do tipo de animal que vai viver nele.
(Fonte: Sergey Novikov: 60365960/ 123rf.com)

O que é um terrário?

Um terrário nada mais é do que um recipiente, quase sempre de vidro, onde se reconstituem as características ambientais necessárias para a sobrevivência de répteis, anfíbios ou plantas. Normalmente, é mantido fechado, com ventilação artificial e mantém a umidade que cada tipo de espécie requer.

O terrário, portanto, é o local que garante que se cumpram as necessidades do seu animal de estimação para evitar que ele viva sob estresse ou tenha problemas de saúde por falta de condições adequadas de sobrevivência.

De que são feitos os terrários?

Como dissemos, é muito importante que seu pet tenha um lugar adequado para viver e se abrigar em segurança. Manter um terrário é construir um lar dentro do seu próprio lar. E, como toda casa, ele deve ser resistente, confortável e seguro. Por isso, é importante conhecer os materiais mais adequados para o terrário. A seguir, listamos os mais comuns e suas características:

Material Ideal para: Vantagens Desvantagens
Vidro Animais que serão mantidos sempre no mesmo lugar Permite ver o interior

O vidro proporciona um ambiente seguro

Resistente a golpes e quedas

Fácil de limpar

Estático, costuma ser muito difícil de mover

Muito pesado, porque costuma ser produzido em vidro grosso e reforçado

Madeira Uma opção elegante, podendo se tornar um móvel a mais em sua casa Material selecionado

Eficiente na conservação do calor

Permite maior isolamento

Simples de limpar

Abriga animais grandes

Não são adequados para espécies aquáticas ou que necessitem de ambientes mais úmidos
Plástico Costuma ser utilizado apenas para transporte dos animais ou para quando se acaba de adquirir um réptil ou anfíbio Fácil de transportar

Simples para limpar e ideal para manter insetos

Não é apropriado para manter os animais por muito tempo

Pode quebrar com facilidade

Quais substratos podem ser colocados no terrário?

Para proporcionar mais conforto térmico e sensorial ao seu animal, o ideal é não deixá-lo em contato direto com o vidro do terrário. O uso do substrato adequado vai ajudar a simular  ambiente natural daquela espécie, deixando-a ao mesmo tempo mais ativa e mais segura. Veja na sequência, o tipo de substrato mais adequado para cada animalzinho:

  • Areia: para animais acostumados a climas secos ou desérticos, que necessitam de pouca umidade.
  • Fibra de coco ou cascalho de pinus: para animais de climas tropicais.
  • Musgos ou folhas secas: ideal para animais de bosques e climas quentes.

Quais habitats um terrário pode simular?

Podemos diferenciar, de forma geral, três grandes ambientes em que os repteis e anfíbios costumam viver: deserto, florestas e clima tropical. Para cada um desses climas, o terrário precisa reproduzir determinadas características, como a umidade adequada, a temperatura, iluminação e ventilação, por exemplo.

Para ficar mais claro, criamos um esquema que mostra cada clima e as características a serem simuladas pelo terrário:

Habitat Características básicas
Deserto O clima mais fácil de manter

Uma camada de areia e pedras, com pouca vegetação

Cuidar da temperatura (subir muito durante o dia e baixá-la à noite)

Boa ventilação

Bosque ou floresta Pode incluir elementos aquáticos

Vegetação abundante, composta basicamente de samambaias e galhos

Temperatura amena, diferenciando entre inverno e verão

Se possível, incluir pequenas cascatas ou lagos, para compor um entorno úmido

Selva É o ambiente mais difícil de reproduzir e manter

Exige muita umidade e temperaturas altas

Elementos altos, como arbustos e galhos, para que o animal possa escalar e se manter suspenso

Como equipar o terrário para cada espécie?

Já que cada espécie pode exigir uma adequação específica, de acordo com o seu meio original, é importante saber que existem artifícios que podem ajudar a compor o ambiente ideal. De forma geral, a quantidade de luz, o aquecimento (ou resfriamento) e a umidade podem ser alcançadas com o auxilio de equipamentos externos. Veja os exemplos.

  • Substrato: como já mostramos, você pode escolher o mais adequado para a espécie do seu animal de estimação.
  • Iluminação: para iguanas e lagartos, por exemplo, adote luzes fluorescentes de baixo consumo, com aporte de radiação UV.
  • Temperatura: para répteis, procure utilizar algumas lâmpadas ou cabos aquecedores. Existem, ainda, os termostatos digitais que permitem monitorar a temperatura do ambiente.
  • Acessórios: tanto répteis quanto anfíbios necessitam de comedouros e bebedouros. Para todos eles, uma pequena fonte ou um lago podem ajudar tanto na hidratação quanto na manutenção da umidade do ambiente.
  • Decoração: procure elementos que simulem o seu habitat natural. Isso trará segurança e conforto ao seu animal.
  • Temperatura e umidade: A temperatura e a umidade ideal variam de acordo com a espécie. No caso lagartos, por exemplo, ficam entre 24º e 26º de temperatura e 70% de umidade. Já os anfíbios necessitam de muita umidade, que pode ser conquistada por meio de um pequeno lago. Além de manter as condições do ambiente, esse recurso permite que se banhem, como é o costume na natureza.
bearded dragon

Para manter o ambiente saudável no terrário, é importante levar em conta a incidência de luz, a umidade, o substrato, o aquecimento e a decoração. (Fonte: Suttiwat Phokaiyajima: 70394209/ 123rf.com)

Qual a diferença entre terrário e aquaterrário?

Principalmente para quem pretende criar um anfíbio, essa pode ser uma grande dúvida. Apesar de serem muito semelhantes, o aquaterrário tem características específicas para a criação de animais que possuem o costume de nadar ou se manter submersos por longos períodos.

O aquaterrário é composto por uma grande área que se assemelha a um aquário e uma plataforma seca, para que o animal possa descansar, se alimentar e interagir com o ambiente. Assim como no aquário, é necessário o uso de equipamentos para manter a água limpa e oxigenada.

foco

Sabia que também é possível manter insetos em um terrário. As necessidades são diferentes das exigidas por répteis e anfíbios, mas já é comum encontrar produtos direcionados a insetos em lojas do ramo.

Como limpar o terrário?

Nem seria necessário citar as razões pelas quais é importante manter limpo o ambiente do seu animal de estimação. Além do mal cheiro que pode se espalhar por toda a casa, trata-se de um ambiente úmido e, portanto, suscetível à proliferação de bactérias, que podem trazer doenças tanto ao animal quanto à sua família.

Por esses motivos, vale seguir alguns passos essenciais para uma limpeza simples e eficaz:

  • Retire o animal com cuidado e o mantenha em um local seguro. Tire também todos os acessórios e complementos, deixando o terrário vazio.
  • Colete todo o substrato sujo e descarte.
  • Faça uma mistura de água com sabão neutro.
  • Esfregue com esponja e enxague com água corrente.
  • Por último, seque o terrário com pano limpo ou papel absorvente.
  • Deixe ventilar por alguns minutos e, depois de bem seco, recoloque os acessórios, complementos e, finalmente, o seu animal de estimação. 
Tropical decoration

Clima desértico, de bosque e tropical são alguns dos ambientes que podem ser simulados em um terrário.
(Fonte: Dirk Ercken: 117544954/ 123rf.com)

Critérios de compra

Você acaba de receber as orientações sobre a importância de um terrário para a criação de seu pet. No entanto, é provável que esteja cheio de dúvidas sobre como escolher o melhor para o seu bichinho. Por isso, destacamos alguns critérios essenciais para ter em mente antes de finalizar sua compra.

Dimensões

Promover um ambiente confortável é garantia de que seu animal de estimação estará bem cuidado. Isso porque o estresse por falta de espaço é uma das principais causas de morte em repteis, anfíbios e roedores mantidos em casa.

Para atender às necessidades do seu bichinho, é fundamental estar atento às medidas do terrário e, ainda, considerar o tamanho que o pet poderá alcançar na idade adulta. Lembre-se que algumas espécies necessitam de locais altos, para que possam se manter suspensos.

Espécie

Como você já pode conhecer, há um tipo de terrário ideal para cada espécie animal, de acordo com as necessidades e as características de seu habitat natural. Por isso, antes de realizar a compra tenha certeza de que o modelo é adequado para o seu animal de estimação.

Pode parecer uma besteira, mas essa cautela fará toda a diferença na qualidade de vida e segurança do animal e da família. Um escorpião não ficará tão preservado em um terrário próprio para lagartos, por exemplo.

leopard gecko (Eublepharis macularius) lizard on sand

A limpeza do terrário é fundamental para a saúde do seu animal de estimação.
(Fonte: Narongrit Dantragoon: 82109781/ 123rf.com)

Segurança

Totalmente ligado ao critério anterior, a segurança é um dos itens fundamentais na hora de escolher um terrário. Manter um réptil ou anfíbio em casa requer atenção redobrada a este ponto. Para tanto, verifique se o terrário escolhido conta com travas de segurança, portas específicas para alimentação e estrutura que permita a locomoção do bichinho sem riscos de se machucar.

Além disso, certifique-se sobre a resistência do material, que deve ser à prova de choques e quedas, e procure instalar o terrário em um local tranquilo da casa, para mantê-lo o mais preservado possível da circulação excessiva de pessoas. Para garantir segurança redobrada, evite manter o terrário em locais altos ou sobre suportes na parede.

Beautiful jar with live forest with self ecosystem

O terrário deve estar em local fresco, tranquilo e vem ventilado.
(Fonte: Jacek Nowak: 65174602/ 123rf.com)

Manutenção

Um dos pontos que mais preocupa e traz incômodos diz respeito à conservação e limpeza do terrário. Como mencionamos há pouco, a higiene do ambiente em que seu animal de estimação vai viver é crucial para que ele tenha saúde e sua família, bem-estar.

Diante disso — e sabendo que mais cedo ou mais tarde você vai precisar limpar o seu terrário —, vale a pena avaliar bem a facilidade de manutenção antes da aquisição. Para tanto, observe as dimensões, o peso, a forma de abertura das portas e o acesso à parte interna do terrário.

Todos esses itens podem parecer irrelevantes, mas é importante lembrar que o processo de limpeza será recorrente e, quanto mais fácil for, melhor para você e para seu animalzinho, que contará sempre com as melhores condições de higiene.

foco

Você sabia que, ao contrário do que costuma-se dizer, os répteis não têm “sangue frio”? Eles são animais ectotérmicos, ou seja, regulam sua temperatura de acordo com fontes externas de calor, como o sol.

Ventilação e iluminação

Seu animalzinho de estimação necessita de um ambiente que permita a oxigenação adequada, de acordo com o que teria na natureza. Por estar fechada no terrário, é necessário que ele ofereça essa ventilação ao longo do dia. Normalmente, basta um espaço com grades para manter o local bem oxigenado.

Não menos importante é a exposição à luminosidade. Como vimos, os répteis precisam de uma fonte externa de calor para manter a temperatura corporal. É fundamental que recebam, de preferência, a luz solar em alguns momentos do dia. Se isso não for possível, existem lâmpadas que emitem raios UV e podem suprir essa necessidade.

Resumo

Adotar um réptil ou anfíbio como animal de estimação pode te levar a um mundo a parte, cheio de boas surpresas, mas também, muitas exigências. Ao longo desse artigo, mostramos os pontos de atenção para manter seu pet sempre tranquilo e seguro. Neste sentido é que trouxemos o terrário como alternativa para proporcionar condições mais próximas das naturais.

Agora você sabe como escolher o melhor terrário e de que forma adequá-lo para manter seu bichinho, de acordo com a espécie e suas necessidades. Vale lembrar dos critérios técnicos e práticos a serem observados antes da compra: dimensão, itens de segurança e facilidade de manutenção podem fazer toda a diferença na rotina do seu animal de estimação.

Este foi o nosso guia sobre o terrário e suas utilidades. Se você gostou desse material, compartilhe com seus amigos e aproveite para nos deixar um comentário. Até a próxima!

(Fonte da imagem destacada: Zhanna Tretiakova: 46920610/ 123rf.com)

Por que você pode confiar em nós?

Bianca de Moura Formada em Veterinária
Bianca herdou a paixão pelos animais de seu pai, que também é veterinário. O amor pelos bichinhos é tanto que, hoje, ela divide seu tempo entre atender em clínicas particulares e ajudar ONGs que resgatam cães abandonados. Além disso, ainda encontra tempo para conversar, na internet, com pessoas que dividem com ela esse amor pelos pets.
Vera Pereira Redatora/Editora
Jornalista, especialista em produção de conteúdo digital, tem na escrita a sua maior paixão. Adora investigar, apurar fatos e reconstruir histórias. Por isso, atua na pesquisa e adaptação dos conteúdos internacionais à realidade e legislação brasileiras.