duas taças de vinho.

Você não acha que o vinho rosé cai muito bem no outono? E na primavera ou no verão também. Enfim, qualquer momento é bom com nossos amigos ou companheiro (a), e se for acompanhado de uma taça de vinho então, será ainda melhor. Talvez essa seja a razão para que o vinho rosé seja cada vez mais recomendado.

Possivelmente, se você ainda não é um apreciador nato deste líquido de cor tão peculiar, o motivo das suas dúvidas é a falta de conhecimento. Pois bem, isso acaba agora! Vamos mostrar um novo e completíssimo guia sobre o vinho rosé. Com certeza você vai mudar de opinião depois de ler.

O mais importante

  • Ao contrário do que geralmente se pensa, o vinho rosé não é obtido pela mistura do vinho tinto e vinho branco, mas sim é um vinho tinto com pouca maceração. Por isso tem esse tom rosé tão atraente.
  • Com o passar do tempo e graças a melhora da qualidade da elaboração dos vinhos, cada vez mais pessoas incluiram o rosé em seus favoritos. Além disso, suas características o tornam ideal para qualquer ocasião.
  • Quando for escolher um vinho rosé, se não quiser ficar testando, o melhor a ser feito é considerar certos aspectos como a colheita da uva, a cor ou o preço. Desta forma, será mais fácil acertar.

Os melhores vinhos rosé do mercado: Nossas recomendações

Quando falamos de vinho, nada melhor que uma boa recomendação. Por isso, e se você ainda está um pouco perdido nesse assunto, vamos começar este guia falando dos melhores vinhos rosé do mercado atualmente. Preste atenção nas características de cada um deles, qual você gostaria de provar primeiro?

O vinho rosé favorito dos usuários online

Esta opção é da Vinícola chilena Concha y Toro. Com aroma delicado de frutas, é um ótimo acompanhamento para petiscos ou refeições bem temperadas. É fresco e bem balanceado, levemente adocicado, ideal para curtir bons momentos com amigos e família.

Um vinho rosé leve e refrescante

Este vinho rosé da chilena Santa Helena é feito 100% de uva Cabernet Sauvignon com aroma e paladar frutado, é muito leve e harmoniza com carnes, quiche, salmão, comida mexicana, entre outros.

Um vinho rosé versátil e leve

Esta opção de vinho rosé frisante é da Vinícola gaúcha Salton. Feito a partir das uvas Moscato e Cabernet Sauvignon, possui aroma de frutas, flores e notas cítricas. É leve, com boa acidez e uma leve doçura. Harmoniza com pizza, petiscos, frutos do mar e massas. É uma ótima opção em custo benefício.

Guia de compras: Tudo que você precisa saber sobre o vinho rosé

Promessa é dívida. Anteriormente, prometemos resolver todas as dúvidas que você pode ter sobre o vinho rosé e é o que vamos fazer a seguir. Cuidado, se você continuar lendo terá uma grande chance de se apaixonar por esse tipo de vinho tão requisitado ultimamente. Mas o que seria da vida sem riscos? Vamos lá!

casal bebendo vinho

Qualquer momento é bom com nossos amigos ou companheiro, mas acompanhado de uma taça de vinho pode ser ainda melhor! (Fonte: Darya Petrenko: 86547727 / 123rf.com)

Quais são as principais características do vinho rosé?

Já adiantamos que o vinho rosé não é o que muita gente pensa, uma mistura entre o vinho tinto e o branco. O que é certo é que este tipo de vinho é elaborado com uva tinta, que é submetida a um curto período de maceração com as cascas. Este contato é o que dá cor ao vinho e, por ser curto, fornece apenas um tom rosado.

Mas além de seu processo de elaboração, os vinhos rosé são caracterizados por:

  • Ter um sabor muito sutil.
  • Apesar disso, são encorpados.
  • É suave, leve e fresco.
  • Combina perfeitamente com diversos tipos de pratos.

Em qual temperatura o vinho rosé deve ser servido?

Embora dependa do vinho rosé exato que você irá consumir, é importante deixar claro que é um tipo de vinho que deve ser servido frio ou gelado.

Para sempre acertar com a temperatura ideal, o melhor é prestar atenção nas indicações do fabricante. Ainda assim, podemos fornecer algumas informações gerais sobre a temperatura do vinho:

Tipo de vinhoTemperatura ideal
Vinho branco Entre 6 e 12 graus*
Vinho roséEntre 6 e 8 graus
Vinho tintoEntre 12 e 20 graus*
Espumante e ChampagneEntre 5 e 7 graus

*Dependendo do tipo.

Que tipos de vinho rosé existem?

Mais do que tipos, quando nos referimos ao vinho rosé, devemos falar sobre os processos ou métodos de elaboração. É verdade, claro, que cada método dará lugar a uma variedade diferente. Vejamos as duas principais:

  • Método de sangria: Neste método, o tempo de maceração dura entre três horas e três dias, dependendo da tonalidade que queira dar ao vinho. Depois da maceração, o mosto é extraído “por sangria”, ou seja, pela própria gravidade e é separado das cascas. Portanto, não existe contato com as cascas durante a fermentação. Esta variedade é de maior qualidade.
  • Método de prensagem direta: Neste caso, a uva é prensada, onde obtém um leve tom das cascas. O que ambos os processos tem em comum é que a fermentação é feita sem contato com as cascas. Neste segundo método de elaboração, são obtidos vinhos rosé mais leves.

Além desta primeira classificação, não podemos deixar de mencionar que os vinhos rosé podem ser Jovens ou de Reserva.

um par de taças de vinho

O vinho rosé é elaborado com uva tinta e é submetido a um curto período de maceração com as cascas. (Fonte: Violeta Chalakova: 53249589 / 123rf.com)

Com quais alimentos o vinho rosé harmoniza melhor?

O vinho rosé é suave. Esta característica o torna ideal para harmonizar com pratos muito variados. Porém, é necessário ter cuidado em não misturá-lo com alimentos de sabor muito forte, já que isso pode acabar matando o vinho. Essas são nossas recomendações de harmonização:

  • Se você vai tomar com um aperitivo, o vinho rosé cai muito bem com pão com tomate ou anchova.
  • Na hora do almoço, esse vinho acentua o sabor dos frutos do mar, massas, carne ou arroz. Também harmoniza perfeitamente com pratos que levem ovos.
  • Para um jantar leve, não deixe de tomar com saladas ou uma tábua de queijos.
  • Ah, também é ideal com sobremesa. Você vai adorar notar o contraste do sabor ácido do vinho rosé com a doçura da sobremesa.

Como você pode observar, este é um vinho muito versátil que pode funcionar bem em quase todas as ocasiões. Certamente, é por isso que cada vez mais pessoas o escolhem como vinho de referência.

Juan Antonio Herrero LópezGerente da Lavinia

“[O vinho rosé] por sua versatilidade e facilidade para conseguir harmonizar, é uma variedade muito refrescante que, graças as suas cores vivas e chamativas, nos convida ao seu consumo.”

Que tipos de uva são utilizados na elaboração do vinho rosé?

Agora que já conhecemos o método de elaboração do vinho rosé, não ficaremos surpresos ao saber que não é feito de um único tipo de uva. Portanto, embora não exista uma única resposta para essa pergunta, podemos mostrar as variedades de uva mais comuns.

Especialmente em relação ao vinho rosé seco, de estilo europeu, as uvas mais utilizadas são: Sangiovese, Carignan, Pinot Noir, Grenache, Syrah, Cinsault e Mourvèdre.

Existem falsos mitos sobre o vinho rosé?

Claro, como com quase tudo e certamente algum desses fatos você já deve ter escutado. Como nossa função é informá-lo, vamos, mais uma vez, descartar todos aqueles mitos que tem como única função nos confundir sobre o vinho rosé. Você está preparado para mudar de opinião?

  • O vinho rosé é elaborado a partir da mistura de vinho tinto e vinho branco. Este é o mais comum de todos, mas já desmentimos em algumas ocasiões ao longo deste guia.
  • Rosé e clarete são duas formas de chamar o mesmo tipo de vinho. Outro grande erro sobre o vinho rosé. Mas, paciência, vamos explicar na próxima pergunta.
  • O vinho rosé possui essa cor devido ao tom da uva utilizada. Você leu a pergunta anterior? Lá está a resposta. Além disso, é bastante absurdo pensar que existem uvas rosadas.
  • Em relação ao vinho rosé, quanto mais intensa for a cor, melhor será a qualidade. Outra grande mentira. Já vimos que a cor rosé é dada devido ao tempo de contato com a casca, não tem relação com a qualidade.
  • Não se pode comer com o vinho rosé. Há quem pensa (erroneamente) que o rosé não é um vinho com qualidade ou corpo suficiente para acompanhar uma refeição. Bem, isso está bem longe da realidade, já vimos que o vinho rosé harmoniza com muitos tipos de alimentos.
  • O vinho rosé é para quem não conhece ou não gosta de vinho. Ou na verdade quem diz isso é quem pensa que sabe muito.
  • O vinho rosé tem menos qualidade que os vinhos tinto e branco. De fato, é o contrário. Quanto mais delicado o vinho, é mais importante que as uvas utilizadas sejam de qualidade. Além disso, seu processo de elaboração exige um maior cuidado.

É incrível tudo que podemos acreditar por ouvir de alguém. Por sorte, isso não acontecerá com você, que agora conhece a fundo o vinho rosé e é capaz de ignorar todos esses falsos mitos.

torcendo com vinho

O rosé é um vinho suave. Este característica o torna ideal para harmonizar com pratos variados. (Fonte: Darya Petrenko: 28062912 / 123rf.com)

O vinho rosé é a mesma coisa que um vinho “clarete”?

Esta é um questão muito recorrente nas conversas sobre vinho rosé. Você lembra o que dissemos sobre o vinho rosé não ser a mistura entre o vinho tinto e o vinho branco?

Bem, aqui está o porquê. Esta mistura é chamada de “clarete” e, mesmo que a cor seja parecida, ele tem pouco a ver com o rosé.

Critérios de compra

Uma vez que todas as questões relacionadas com o vinho rosé estejam respondidas, não queremos nos despedir sem dar um último conselho: o que você deve considerar ao escolher um vinho rosé para sempre acertar na escolha. Pois bem, o mais simples e prático é que você considere os seguintes critérios de compra e, dependendo deles, fazer sua escolha.

Ocasião

Claro, o primeiro critério a ser considerado quando for comprar um vinho rosé é a ocasião em que será consumido.

Ainda que tenhamos dito que se trata de um tipo de vinho muito versátil que pode harmonizar com uma grande variedade de alimentos, vale a pena garantir que um vinho rosé é justamente o que você está procurando.

Para isso, é importante considerar suas características principais: é um vinho leve, com um sabor sutil, mas encorpado e muito fresco, que é servido frio ou gelado.

vinho rosé

Há quem pensa (erroneamente) que o vinho rosé não possui suficiente qualidade ou corpo para harmonizar com alimentos. Mas isso está longe da realidade. (Fonte: Karandaev: 109463550 / 123rf.com)

Tempo de fabricação

Por possuir um tempo de maceração curto, sua validade também é curta.

O segundo critério de compra é o tempo de fabricação. Se consideramos que o tempo de maceração dos vinhos rosados é realmente curto (mencionamos que, em algumas ocasiões, não é mais que algumas horas), não será estranho que comecem a perder suas qualidade também rapidamente.

Os especialistas advertem que, a partir do momento que completa um ano da safra, esse tipo de vinho já começa a perder sua qualidade. Por isso, é fundamental garantir que o vinho não passe deste período.

Cor

Outro aspecto importante dos vinhos rosé é a cor. Sabemos que isto depende do tempo que passa o mosto (praticamente incolor) em maceração com as cascas da uva, que é o que dá o tom rosado ao vinho.

Portanto, em função disso, podemos encontrá-lo nas cores rosa, carmim, salmão ou laranja.

Também sabemos que a qualidade ou o sabor não dependem da cor, mas sim da própria uva. Então, nesses casos, será uma questão de provar diferentes tipos para saber qual é o mais convincente.

José Luis SolanillaEspecialista em gastronomia

“É conhecido como vinho clarete aquele que é feito misturando vinho branco com uma parte de vinho tinto, para dar a cor desejada, ou o que é feito com uvas brancas e tintas, seguindo o mesmo processo que um vinho branco ou tinto. O rosé, no entanto, é feito com uvas tintas.”

Preço

Por último, mas não menos importante, temos que falar sobre dinheiro. O preço do vinho pode ser muito variável e é importante que tenhamos em conta que, em muitas ocasiões, não tem relação se iremos gostar mais ou menos do vinho.

De novo, é questão de provar até encontrar um favorito, mas você deve saber que, por sorte, os vinhos rosé são bem econômicos e podemos encontrar ótimas opções por um valor ao alcance de todos os bolsos.

Resumo

É por seu frescor e leveza, por sua grande capacidade de harmonização com pratos dos mais variados tipos ou por ficar estéticamente bonito na taça? Se formos sinceros, não sabemos, mas com toda certeza, com o passar do tempo, o vinho rosé tem ganhado cada vez mais adeptos que o escolhem para acompanhar em seus melhores momentos.

Apesar dos inúmeros mitos que circulam em torno deste vinho, o rosé foi abrindo seu caminho até chegar a ser um dos mais vendidos do mercado atualmente. Se você ainda não provou, convidamos a fazê-lo e descobrir cada uma de suas notas. Temos certeza que você irá se surpreender.

Quando provar, nos conte nos comentários. Ficaremos felizes em saber! E se você gostou do nosso guia sobre vinho rosé, compartilhe com seus amigos em suas redes sociais.

(Fonte da imagem destacada: Katerina Solovyeva: 79312478 / 123rf.com)

Por que você pode confiar em nós?

Ricardo Amorim Músico e Viajante
A música e as viagens sempre foram as paixões de Ricardo. Seu violão o acompanha pelo mundo, desde que saiu de casa aos 17 anos. Desde então, já conheceu mais de 50 países e segue sua jornada rumo aos 100. Além de suas duas paixões, Ricardo também escreve sobre outras formas de lazer, especialmente sobre livros, aproveitando os dois anos investidos no curso de Jornalismo.
Curiosa por natureza e apaixonada por viagens, ama estar por dentro das novidades que podem facilitar e tornar mais alegre o dia a dia das pessoas. No Guia55, escreve e adapta artigos para auxiliar suas decisões de compra.
Beatriz Cámara Redatora freelancer
Tem a tradução como vocação e a escrita como filosofia de vida. Acredita que os ingredientes fundamentais para um bom artigo são o rigor na informação com um toque de estilo. Escreve sobre cosméticos, beleza, paternidade e produtos para casa.