Ultima atualização: 6 de agosto de 2021

Como escolhemos

15Produtos analisados

25Horas investidas

8Estudos avaliados

97Comentários coletados

O vinho tinto é um tipo de bebida feita de uvas tintas. Com o processamento adequado, a propagação do corante, que é extraído da casca da fruta, é alcançada. Dependendo do tempo de envelhecimento no barril, e depois na garrafa, vinhos jovens, crianzas, reservas ou grandes reservas podem ser obtidos.

Para apreciar o vinho, não é necessário ser um especialista ou ter que fazer um curso de enologia. É verdade que quanto mais aprendemos sobre algo, mais gostamos, mas caso você não tenha muito conhecimento sobre isso, deixamos a você algumas informações que consideramos importantes. Se você quer encontrar o melhor vinho do mercado, continue lendo nosso guia!




As coisas mais importantes

  • Qualquer paladar pode notar diferenças importantes entre os diferentes tipos de vinho. Isto dependerá da casta, do clima onde ela foi cultivada, da temperatura, umidade, luz solar direta, odores ambientais, entre outros. Cada um dos aspectos mencionados acima pode alterar seu sabor e qualidade.
  • Vinho e comida: saber combiná-los é uma arte que se aprende com a prática. O importante é que os sabores de ambos se reforçam um ao outro e nunca se contrapõem um ao outro. Para provar um vinho, basta aguçar nossos sentidos, capturar suas características e tentar descrevê-las. Desta forma, aos poucos seremos capazes de distinguir mais coisas.
  • Ao escolher um vinho, nem sempre é o vinho mais caro que é o melhor. Isto vai depender muito do gosto e da situação em que vamos consumi-lo. Neste artigo nós mencionaremos alguns dos critérios de compra mais importantes que você deve levar em conta antes de escolher um vinho.

Vinhos tintos: nossas recomendações

Atualmente você pode encontrar guias de enologia ou conselhos sobre como escolher o melhor vinho. A dificuldade está no fato de que muitas de suas descrições podem ser um tanto complexas e requerem um certo nível de conhecimento prévio para serem capazes de compreendê-las. Portanto, preparamos um guia com os melhores vinhos do mercado para ajudá-lo a escolher.

Guia de compras: O que você deve saber sobre vinho tinto

O vinho tinto é o melhor companheiro durante uma boa conversa, as melhores refeições e celebrações importantes. É a bebida alcoólica com a mais longa tradição na história e no mundo. Aqui está uma lista de perguntas freqüentemente feitas pelos usuários para que você entenda esta bebida e tenha todas as informações necessárias para fazer uma boa compra.

O vinho tinto é um tipo de bebida feita de uvas tintas.(Fonte: Racorn: 21162391/ 123rf.com)

O que exatamente é vinho tinto e como é obtido?

Vinho tinto é uma bebida alcoólica extraída de uvas tintas através da fermentação de seu mosto ou suco. Este processo é alcançado pela ação metabólica das leveduras, que convertem os açúcares da fruta em etanol. O vinho, ao contrário de outras bebidas, é afetado por agentes externos como clima, latitude, luz e umidade.

A produção de vinho tinto é um processo antigo que, ao longo dos anos, atingiu um grande nível de complexidade. A vinificação é uma arte e, em essência, mantém os processos que nossos ancestrais usaram há milênios. Tudo gira em torno da fermentação das uvas, mas como isso é feito?

  1. Colheita: Esta é a colheita das uvas. Na Espanha, acontece entre setembro e outubro. O momento ideal será marcado pela própria fruta. É importante que ele contenha o nível certo de açúcar, já que a fermentação subsequente dependerá dele.
  2. Desengace: Uma vez selecionados os melhores cachos, as uvas são separadas do resto do cacho, conhecido como raspón. Este processo é realizado usando um desenmmer. O objetivo de separar os galhos e folhas é evitar que eles deixem um gosto amargo no vinho.
  3. Trituração: Uma vez que os cachos tenham sido desengaçados, as uvas são passadas por uma máquina de trituração ou esmagadas. O objetivo deste processo é quebrar a casca da uva. Desta forma, uma grande parte do mosto é extraída do interior, o que facilita o processo de maceração.
  4. Maceração: Durante a maceração, uma temperatura controlada deve ser mantida. É um processo muito importante, pois permite a fermentação que dá ao mosto sua cor, assim como outras características através do contato com os pigmentos das peles. Estes depósitos, através das leveduras, iniciam um processo de fermentação, que transforma o açúcar em álcool. Dependendo do tipo de vinho, este processo dura entre 10 e 14 dias e deve ser feito a temperaturas abaixo de 29ºC.
  5. Prensagem: Quando as cubas de fermentação são esvaziadas, haverá restos sólidos. Estas contêm quantidades de vinho, por isso são prensadas para obter o líquido. Este vinho é rico em aromas e taninos e não se mistura com o outro vinho. As sobras são usadas para fazer bagaço e outros produtos.
  6. Fermentação maloláctica: O vinho obtido nas etapas anteriores é submetido a outro processo de fermentação. Através deste processo, o ácido málico é convertido em ácido láctico. Este processo reduz a acidez do vinho e o torna mais agradável de beber. Esta fermentação leva entre 15 e 21 dias.
  7. Envelhecimento: Após as fermentações, é hora do envelhecimento ou da crianza. O vinho é transferido para barris de carvalho. A madeira dá ao vinho aromas de fumo, baunilha ou madeira. O contato com a madeira e sua porosidade produzem efeitos químicos que mudam as características do vinho.
  8. Engarrafamento: Este é um segundo período de envelhecimento. Desta vez, ele é deixado para descansar em garrafas de vidro. Durante este tempo, o vinho evolui em uma atmosfera redutora e assimila o oxigênio que é inevitavelmente introduzido na garrafa. Este processo é importante para que o vinho se estabilize e para que os aromas encontrem seu ponto de equilíbrio.

Quais são os benefícios do vinho tinto?

Sabe-se que a cerveja tem um baixo teor calórico, mas o vinho não fica muito atrás, pois um copo de vinho não ultrapassa 90 calorias. O vinho é normalmente consumido após uma refeição para digestão, e tem muitos outros benefícios também. Mas, como todas as bebidas alcoólicas, ele tem suas vantagens e desvantagens.

Aqui está uma lista das principais vantagens de se beber vinho tinto. Quando falamos sobre os benefícios do vinho, é importante esclarecer que estamos sempre falando de consumo moderado. Nós esperamos esclarecer suas dúvidas

  1. Digestivo e baixo em calorias.
  2. Propriedades antioxidantes.
  3. As do vinho são ideais para proteger e curar as queimaduras solares.
  4. O resveratrol presente no vinho combate o cansaço.
  5. Ele aumenta a liberação de endorfinas.
  6. Tem propriedades adstringentes que ajudam a limpar o paladar.

Vinho e comida: saber combiná-los é uma arte que se aprende com a prática.(Fonte: Valentyn: 36371779/ 123rf.com)

Que critérios são usados para classificar os diferentes tipos de vinho tinto?

Conhecer os tipos de vinhos e suas características é fundamental para escolher o melhor vinho. Os sabores e com que prato emparelhar devem ser considerados. O emparelhamento é um fator determinante na escolha de um tipo de vinho: vinhos tintos combinam bem com carne e vinhos brancos com peixe.

Outro aspecto que diferencia os vinhos tintos, além de sua cor, é a diversidade das uvas. As diferentes variedades proporcionam nuances, aromas e sabores. A idade é outro fator que não podemos deixar para trás, mas que veremos nos critérios de compra. Aqui está uma classificação de acordo com dois fatores diferentes.

Classificação Características
Teor de açúcar

Vinho seco: Também conhecido como "vinho de mesa", tem um teor de açúcar muito baixo (2 gramas por litro).

Vinho semi-seco: Seu teor de açúcar oscila entre 5-15 gramas/litro.

Vinhos semi doces: Seu teor de açúcar flutua entre 15-30 gramas/litro.

Vinhos semi doces: contêm entre 30-50 gramas/litro.

Vinhos doces: Eles contêm mais de 50 gramas de açúcar/litro.

Elaboração Maceração carbônica: Este é um procedimento clássico na produção de Rioja. Estes são vinhos frescos e frutados.

Vindima tardia: As uvas são vindimadas após as datas normais. Estes são vinhos doces porque as uvas são desidratadas e contêm muito açúcar.

Vindimas selecionadas: Uvas muito cuidadosamente selecionadas. São geralmente de parcelas especiais e com vários controles de vinha.

Qual é a denominação de origem do vinho tinto e como eles são regulamentados?

As Denominações de Origem (D.O.) correspondem a uma área do território espanhol. Muitas vezes, esta denominação coincide com a comunidade autônoma na qual o vinho é produzido, por exemplo, o D.O. La Rioja. Em outras ocasiões, porém, as áreas correspondem aos territórios nos quais o vinho é produzido, como o D.O. Ribera del Duero.

Cada D.O., através de uma série de disposições e regulamentos, regula a qualidade das uvas e do vinho. O D.O. é, em resumo, um sistema regulatório para a qualidade do vinho. Na Espanha existem até 70 denominações e cada uma tem seus próprios regulamentos, embora alguns sejam comuns a todos, por exemplo

  • Região: As uvas utilizadas para sua produção devem ser provenientes da própria região.
  • Prestígio: Deve ser um vinho reconhecido, ou seja, deve ter um alto prestígio.
  • Qualidade: Deve oferecer uma alta qualidade e características típicas da região de onde vem.
  • European Review: A UE estabelece um quarto fator, que é que o vinho também deve ser produzido dentro da área.

Que variedades de uva são usadas para fazer vinho tinto e como elas diferem?

Outra maneira de classificar os vinhos é de acordo com a variedade de uva. Diferentes variedades de uva produzem diferentes vinhos. Cada um deles fornece propriedades e sabores diferentes. Aqui está uma tabela com algumas das castas mais conhecidas, na qual diferenciamos intensidade, sabor e emparelhamento.

Cepa Intensity Flavour Pairing
Cabernet sauvignon Strong Com um toque de cedro, menta e cerejas pretas. Carnes altas e molhos fortes.
Pinot noir Mild Sabores de morangos, canela e violetas rosa. Carnes brancas, queijos suaves, arroz, massas e vegetais.
Malbec Mild Com um toque de chocolate, nozes, ameixa e baunilha. Carnes brancas, queijos moles, pratos de arroz, massas e vegetais.
Merlot Medium Com um toque doce de ameixa e mel. Carnes vermelhas mais claras.
Sangiovese Strong Sour cherry flavour. Pares bem com pratos do Mediterrâneo.
Cabernet (franc) Smooth Herbal flavour. Pasta, lasanha, aves e carnes grelhadas. Grande variedade de queijos.
Grenache ou garnacha Mild Forte sabor de frutas vermelhas. Queijos curados, saladas poderosas e todos os tipos de carnes. Peixe de sabor forte.
Syrah ou shirazh Strongh Toques de fumo, sabor floral. Assados, carne grelhada e caça. Cozidos, guisados fortes e chocolate.
Zinfandel Strongh Raspberry (uvas de áreas frias) ou pimenta (uvas de áreas quentes). Carne assada, carne grelhada, massa e pizza.
Tempranillo Smooth Dicas de cerejas Carnes assadas, especialmente cordeiro. Também, peixes de rio, guisados, carnes frias e queijos de pasta mole.

Que elementos influenciam a qualidade do vinho?

Uvas e vinho são elementos vivos que são afetados por fatores externos, como água e sol. Há diferentes elementos que influenciam o vinho e sua qualidade. Abaixo, mencionaremos, por meio de uma lista, quais são os principais aspectos que determinarão o resultado final que pode ser obtido com esta bebida milenar

  1. Solo: O solo quente dá corpo e aumenta a porcentagem de álcool.
  2. Temperatura: Quanto mais fria for a área onde o vinho é produzido, mais ácido e refrescante ele será.
  3. Tipo de uva: determina o caráter do vinho.
  4. Vinificação: É essencial saber combinar fermentação, temperatura, variedade de uva e tempo. Neste ponto, a participação de um enólogo é decisiva.
  5. Maturação: Em barris de carvalho, o vinho adquire taninos e aroma de madeira. A madeira tem pequenos poros que permitem oxigená-la e envelhecê-la. Entretanto, somente vinhos com grande estrutura e concentração podem suportar longos tempos de maturação, caso contrário o vinho pode se deteriorar com o tempo.

Qual vinho tinto é usado para cozinhar?

O vinho é usado da mesma forma que as especiarias para dar um sabor diferente aos nossos alimentos. Ele pode ser um excelente companheiro, especialmente para carnes. Por exemplo, o cordeiro pode ser acompanhado por um Zinfandel ou syrah, enquanto para carnes vermelhas claras pinot noir é a escolha perfeita.

Muitas pessoas pensam que vinhos baratos são os melhores para cozinhar, mas a verdade é que eles não são uma boa alternativa se você quiser fazer uma refeição deliciosa. Idealmente, use um vinho de cozinha que também encante o seu paladar. Beber um pouco enquanto você cozinha pode inspirá-lo a criar um excelente prato.

TucídidesHistoriador ateniense
"O povo do Mediterrâneo começou a emergir da barbárie quando aprendeu a cultivar a oliveira e a vida".

O que é resveratrol e para que é utilizado?

O resveratrol é um composto que faz parte dos antioxidantes do vinho tinto. Tem sido atribuído com uma série de benefícios à saúde e é um dos principais contribuintes para os efeitos positivos atribuídos ao vinho. Éencontrado em maior concentração na pele das uvas vermelhas.

Aingestão de resveratrol (1) diariamente por três meses pode melhorar o batimento cardíaco em pacientes com vasos sanguíneos e danos no miocárdio. Entretanto, o resveratrol ainda é um tema de debate e discussão sobre quais são seus reais benefícios.

Quais vinhos contêm a maior concentração de resveratrol?

>Este composto está intimamente relacionado com uvas tintas e vinho tinto. Malbec, syrah, saint laurent e pinot noir são os vinhos com o mais alto conteúdo de resveratrol. A característica comum desses vinhos é a espessura de suas peles, pois quanto mais espessas elas são, mais resveratrol elas contêm.

A concentração no vinho depende não só da uva, mas também da técnica de vinificação utilizada. Processos mais tradicionais ou artesanais de vinificação resultam em altas concentrações de resveratrol, mas a maceração carbônica não produz o mesmo efeito.

James JoyceEscritor irlandés
"O que é melhor do que sentar no final do dia e beber vinho com os amigos, ou um substituto para os amigos?".

Critérios de compra

Escolher um bom vinho não é uma tarefa fácil, especialmente se você não é um especialista na área ou se você está apenas começando neste mundo. Há vários fatores que podem influenciar o sabor, o aroma e a qualidade do vinho. Aqui estão os critérios mais importantes a considerar antes de escolher e comprar um vinho.

Percentagem de álcool

O corpo e a suavidade de uma bebida estão diretamente relacionados com a percentagem de álcool. Os vinhos com 14° ou mais são mais encorpados, mais fortes e mais secos. Ao contrário dos vinhos com 12° ou menos, que são considerados leves e doces. Este é um fato simples e fácil de encontrar em qualquer garrafa, mas nos dará muitas informações.

Você sabia que o mais importante, em relação ao emparelhamento do vinho, é sempre realçar seu sabor e nunca contrariá-lo?

Vintage

O ano ou a safra é um aspecto que determinará a qualidade do vinho. A vindima indica quando as uvas foram colhidas e quando a primeira fermentação começou. Isso geralmente nos permite determinar o clima da região e as possíveis doenças que afetaram os vinhedos durante o cultivo e a colheita. As safras são divididas em

  • Regular
  • Bom
  • Muito bom
  • Excelente

Então, se você gostou de um vinho em particular, você pode procurar outro vinho (mesma região) com a mesma safra, pois suas características e qualidade devem ser similares. Há safras de baixa qualidade que ganham qualidades durante o envelhecimento. Entretanto, isto dependerá exclusivamente do cuidado tomado pelo enólogo durante o envelhecimento e a produção.

Denominação de origem

Muitas bebidas alcoólicas têm a denominação de origem em seu rótulo. Este é um certificado que indica a região onde o vinho foi produzido. As melhores vinícolas são aquelas com denominação de origem. Como esta é uma garantia de alta qualidade, o preço também é mais alto. No entanto, é uma diferença que vale a pena pagar. Uma de suas peculiaridades é a seguinte:

As Denominações de Origem Protegidas (D.O. ou D.O.P.) são um sistema utilizado na Espanha para o reconhecimento da qualidade diferenciada, conseqüência de características próprias e diferenciais devido ao ambiente geográfico no qual as castas são cultivadas e colhidas.

Ao escolher um vinho, nem sempre o vinho mais caro é o melhor. Isto vai depender muito do gosto e da situação em que vamos consumi-lo. (Fonte: Belchonock: 44357768/ 123rf.com)

Adegas confiáveis

Existem adegas muito famosas que são bem conhecidas pelos amantes do vinho. Nomes como Faustino ou Marqués de Cáceres são alguns dos mais conhecidos no mundo do vinho. Essas vinícolas devem seu prestígio, em grande parte, ao fato de terem conquistado a confiança dos consumidores através da produção de produtos de excelência. Eles são exigentes e mantêm altos padrões de qualidade.

Os vinhos de assinatura estão se tornando particularmente importantes nos últimos tempos. Vinícolas menos conhecidas, como a Protos, têm feito um esforço para oferecer vinhos de alta qualidade. Estas vinícolas utilizam as técnicas mais modernas, misturando-as com o envelhecimento tradicional para estabelecer padrões de qualidade muito altos, sem encarecer o produto final.

Você sabia que na Espanha existem seis tipos de consumidores de vinho, segundo um estudo da EAE Bussiness Shool. (3)?

Tipo de uva

A variedade de uva utilizada para produzir o vinho é outro aspecto que lhe dará informações sobre a qualidade do vinho. Existem vinhos monovarietal, ou seja, vinhos feitos com apenas um tipo de uva ou com menos de 85% de uma uva. Há também vinhos multivariados, que são feitos com dois ou mais tipos de uvas.

Embora estes aspectos não sejam 100% determinantes na escolha de um vinho, eles seriam de grande ajuda, já que poderiam influenciar o gosto pessoal do consumidor. Se você tiver qualquer tipo de preferência, você deve sempre escolher um vinho de uma única variedade ou um que contenha o mesmo tipo de uva.

Envelhecimento

A idade do vinho é um fator que não pode ser deixado de lado ao escolher um vinho. Os vinhos são rotulados como jovens, crianza, reserva ou gran reserva. O que isso significa? Este rótulo indica o tempo de envelhecimento que o vinho passou em barril e garrafa antes de ser colocado à venda.

O tempo que o vinho passa em madeira modifica e melhora as características iniciais do vinho. Dependendo do tempo em que o vinho permanecer em contato com a madeira, as mudanças serão mais ou menos perceptíveis. Em geral, você vai notar mudanças na cor, nos aromas e na estrutura. Para lhe dar uma idéia, nós explicamos isso na seguinte lista

  • Jovem: Não foi em barris de carvalho. Estes são vinhos que são consumidos durante o ano.
  • Carvalho: Vinho com pouco envelhecimento em barril. Ela não atinge os períodos de envelhecimento estabelecidos. Ele oferece as vantagens do vinho jovem (gosto frutado e sabor energético), juntamente com os aromas intensos da madeira.
  • Envelhecimento: Amadurecido por dois anos. Eles permanecem entre 6 e 12 meses em barril. O resto em garrafa.
  • Reserva: Estes vinhos são selecionados por sua qualidade. Eles amadurecem por 3 anos, dos quais devem passar aproximadamente 18 meses em barril e 2 anos em garrafa.
  • Gran Reserva: Feito somente com vinhos de safras de alta qualidade. Eles precisam de até cinco anos de amadurecimento. Eles passam 18 meses em barril e 42 meses na garrafa.

Resumo

Escolher um bom vinho é um desafio que depende de muitos fatores. Estes podem ter mais ou menos impacto no sabor, aroma e qualidade. O vinho é uma substância viva que é alterada pela umidade, solo e luz. Entretanto, não se deve esquecer que é uma bebida muito pessoal e, em última análise, o melhor vinho depende de quem o bebe.

Escolher um vinho é uma arte. Como explicamos neste artigo, você deve sempre considerar o ano de colheita, o envelhecimento, o tipo de vinho e o alimento com o qual você vai emparelhá-lo. Como sabemos como é difícil e a possibilidade de esta busca falhar, nós escrevemos este artigo para você.

Se você gostou do artigo, por favor deixe um comentário ou compartilhe-o na mídia social!

(Fonte da imagem em destaque: Rostislavsedlacek: 45249167/ 123rf.com)

Referências (3)

1. Resveratrol. Biblioteca Nacional de Medicina de los EE. UU. Internet.
Fonte

2. Regulación de Venta, Consumo y Publicidad de Bebidas Alcohólicas. Legislación Estatal. Ministerio de Sanidad. Internet.
Fonte

3. Informe 'Panorama actual y perspectivas del sector vitivinícola 2017' de EAE Business School. Internet.
Fonte

Por que você pode confiar em mim?

Artículo informativo
Resveratrol. Biblioteca Nacional de Medicina de los EE. UU. Internet.
Ir para a fonte
Artículo informativo
Regulación de Venta, Consumo y Publicidad de Bebidas Alcohólicas. Legislación Estatal. Ministerio de Sanidad. Internet.
Ir para a fonte
Artículo informativo
Informe 'Panorama actual y perspectivas del sector vitivinícola 2017' de EAE Business School. Internet.
Ir para a fonte
Resenhas